Reflexão sobre autorresponsabilidade e vitimismo: não culpes ninguém

Compartilho hoje um poema do chileno Pablo Neruda, pois prosa e verso também guardam em si grandes lições. Boa leitura!

atualizado 18/05/2018 7:27

Eugenia Loli/Reprodução

Esta semana, li um poema de Pablo Neruda que gostaria de compartilhar. Ele fala sobre um tema que há um tempo quero escrever: autoresponsabilidade e vitimismo.

Registro o texto para reflexão:

Não Culpes Ninguém | Pablo Neruda

Não te culpes por nada, nunca te queixes de nada, nem de ninguém, porque fundamentalmente tu tens feito tua vida.

Aceita a responsabilidade de edificar a ti mesmo e o valor de acusar-te no fracasso para voltar a começar; corrigindo-te,
o triunfo do verdadeiro homem emerge das cinzas do erro.

Nunca te queixes do meio ou dos que te rodeiam,
há em teu meio, aqueles que souberam vencer, as circunstâncias
são boas ou más segundo a vontade ou fortaleza de teu coração.
Aprende a converter toda situação difícil em uma arma para brigar.

Não te queixes de tua pobreza, ou de tua sorte,
enfrenta com valor e aceita que de uma outra maneira,
tudo dependerá de ti; não te amargures com teu próprio fracasso,

Nem culpes a ninguém por isso, aceita agora ou seguirás
justificando-te como um menino, relembra que qualquer momento é bom para começar e que nenhum é tão terrível para claudicar.

Pare já de enganar-se, és a causa de ti mesmo,
de tua necessidade, de tua dor, de teu fracasso.
Se, tu tens sido o ignorante, o irresponsável, tu, unicamente tu, ninguém pode haver feito por ti

Não esqueças que a causa de teu presente é teu passado,
como a causa de teu futuro é teu presente.

Aprende com os fortes, os audazes, imita aos enérgicos,
aos vencedores, aos que não aceitam situações,
aos que venceram apesar de tudo.
Pensa menos em teus problemas e mais em teu trabalho
e teus problemas sem alimento morrerão.

Aprende a nascer desde a dor e a ser maior,
que o maior dos obstáculos.
Veja-te no espelho de ti mesmo.
Começa a ser sincero contigo mesmo. Reconhecendo-te pelo teu valor, pela tua vontade e por tua fragilidade para justificar-te.
Recolhe-te dentro de ti mesmo, mais livre e forte,
e deixarás de ser um boneco das circunstâncias,
porque tu mesmo és teu próprio destino

Levanta-te olha as manhãs e respira a luz do amanhecer.
Tua és parte da força da vida.
Agora desperta, caminha, luta.
Decide-te e triunfarás na vida
Nunca penses na sorte,
porque a sorte é o pretexto dos fracassados.

Últimas notícias