*
 

No Estádio Atanásio Girardot, em Medellín, os colombianos também prestaram homenagens às vítimas da queda do avião. O público todo vestido de branco ouviu a banda do Exército e acenderam as luzes dos celulares e velas para dar o último adeus aos mortos no acidente.

Houve tanta procura para participar das homenagens que o estádio de Medellín teve de ser fechado. Milhares de pessoas ficaram do lado de fora.

A todo minuto, gritos de “Vamos, vamos, Chape!” eram bradados das arquibancadas. No centro do gramado do estádio, estava o escudo da Chapecoense em preto. Além disso, uma grande coroa de flores foi traçada no chão.

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, visivelmente emocionado, esteve presente no estádio. “Muito obrigado, Colômbia. De coração, muito obrigado. Neste momento de grande tristeza, para as famílias e para todos nós, as expressões de solidariedade que traz cada um de vocês nos oferece um consolo, uma luz quando todos estamos compreender o incompreensível. Como brasileiros, não desistiremos jamais”, disse.

Reprodução

“Não esqueceremos a atitude do Atlético Nacional e de todos os torcedores que fosse concedido o título de campeão ao Chapecoense. Um gesto que honra o esporte e que honra essa grande cidade Medellín”, completou Serra. “As inúmeras manifestações de carinho são testemunhos da nobreza do esporte para construir um mundo melhor. É uma emoção muito grande. Quero dizer que nunca tive uma emoção tão grande na minha vida.”

mulheres

Em seguida, uma representante das esposas dos jogadores do Atlético Nacional fez um discurso emocionante voltado às famílias das vítimas. “Faltam abraços para preencher cada vazio. Que o amor de Cristo cure todo o medo e a dor”, disse.

Próximo ao fim da cerimônia, os nomes dos jogadores foram lidos um a um e balões brancos foram soltos no ar. Em seguida, a apresentadora da cerimônia pediu: “É nesse momento que os aplausos têm que chegar aos céus”.

Reprodução  


 

COMENTE

Chapecoense
comunicar erro à redação