*
 

Incomodados com as pichações no Museu Nacional Honestino Guimarães durante um protesto na última terça-feira (29/11), um grupo de amigos resolveu se unir para limpar os desenhos feitos no monumento. Com recursos do próprio bolso, eles compraram os materiais necessários e realizam o trabalho na tarde desta quinta (1º/12).

A ideia foi do produtor cultural Rafael Faria, 36 anos. Ao saber das pichações, ele propôs a um grupo de amigos que fizessem algo para ajudar na situação, e o resultado é a ação de hoje. “Não estamos aqui defendendo nenhuma bandeira política e respeitamos o direito ao protesto. Mas essa é a nossa cidade e ela não pode ser depredada desta forma”, afirma Rafael.

A iniciativa foi permitida pelo diretor do museu, Wagner Barja, que se reuniu com os idealizadores do projeto na quarta (30/11). O grupo é composto por cinco amigos: Renato Azambuja, Mateus Bassan, Luciano Canadá, Pedro Lemos Rafael Faria. Eles começaram o trabalho por volta das 15h desta quinta e, até as 17h30, já haviam coberto cerca de 25% das pichações.

A ação chamou a atenção de pessoas que passavam pelo local. Um homem inclusive se juntou ao grupo para ajudar na limpeza. Eles pretendem permanecer no Museu até o fim do dia e a expectativa é fazer o máximo de trabalho possível ainda hoje. “Quem quiser ajudar, pode só comparecer aqui”, conclui Rafael.

 




 

COMENTE

limpezamuseu nacional da repúblicapichaçãoRafael Faria
comunicar erro à redação