*
 

Novos anexos da delação da JBS afirmam que, em 2013, o então presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, foi à resistência do executivo Joesley Batista para pedir R$ 5 milhões emprestados. Segundo os anexos, o dirigente, que chefiou também a Petrobras, fez a solicitação alegando a compra de um imóvel e nunca devolveu o dinheiro.

A informação foi divulgada pela repórter Camila Bomfim, da TV Globo, e confirmada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Joesley entregou ao Ministério Público Federal (MPF) planilhas com valores e datas de pagamento. Segundo o delator, Bendine foi pessoalmente à J&F, controladora da JBS, e pediu parte dos R$ 5 milhões.

O empresário contou que Bendine afirmou não ser possível beneficiar o empresário no Banco do Brasil, pois o sistema de governança da instituição impediria atos ilícitos. O delator relatou que o dirigente, no entanto, afirmou que se esforçaria pra atender a pedidos da JBS, não necessariamente no banco.

Joesley narrou que concordou em emprestar os milhões porque Bendine era influente no governo.

 

 

COMENTE

Petrobrasbanco do brasilaldemir bendinejbs
comunicar erro à redação