Preso após matar mulher no DF, marido diz que faca “escapuliu da mão”

Ele chegou a socorrer a companheira, a levou ao hospital e fugiu. De acordo com a polícia, homem estava embriagado e discutiu com a esposa

ReproduçãoReprodução

atualizado 10/01/2019 12:23

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu Thiago de Souza Joaquim (foto principal), 33 anos, suspeito de matar a mulher no Gama. A investigação foi conduzida pela 20ª Delegacia de Polícia.

O crime ocorreu na madrugada de sábado (5), dentro da casa da família, na Quadra 8 do Gama Oeste. De acordo com a polícia, o homem estava embriagado e, por conta de uma acirrada discussão, teria atingido a companheira, Vanilma Martins dos Santos, 30, com uma facada. Ele chegou a socorrer a mulher, a levou ao hospital, e fugiu. A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo o delegado Vander Braga, Thiago disse que retornou de uma pescaria, na noite de sexta (4), bêbado. A mulher teria reclamado do horário e do estado do marido e ele, chateado, afirmou ter pego uma faca na cozinha e “simulado” jogar nela. Porém, ainda de acordo com o agressor, o objeto teria escapulido de sua mão e atingido a esposa no tórax.

O delegado, entretanto, questionou a versão do suspeito: “É preciso ter sangue apache para acertar a facada a seis metros de distância no tórax”. Braga destacou ainda que o homem disse ter tirado a faca do peito da mulher durante o caminho para o hospital para tentar estancar o sangue. Mas o objeto foi encontrado no telhado da casa.

Segundo o policial, Thiago e Vanilma eram casados há 10 anos e tinham um filho de 3 anos. Ele não tem passagens pela polícia nem foi alvo de denúncia de Maria da Penha. O feminicida pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

Thiago Joaquim foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça, depois de ter sido localizado nesse domingo (6/1) pelos plantonistas da 20ª DP. Ele recebeu voz de prisão durante depoimento prestado na sede da delegacia. Após as formalidades legais, o homem foi encaminhado ao sistema prisional do DF.

A prisão preventiva foi decretada pela Justiça durante o fim de semana porque a polícia apurou que o agressor tinha comprado passagens para fugir para Minas Gerais.

Estatística crescente
Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, foram registradas, no acumulado do ano de janeiro a novembro de 2017, 27 ocorrências de feminicídios em todo o DF, contra 18 casos no mesmo período de 2018.

Durante 2019, o Metrópoles se dedicará a escrever todas as trajetórias de vida das mulheres que vão sangrar enlaçadas em relacionamentos nocivos. O olhar feminino e sensível das profissionais envolvidas no projeto irão humanizar as estatísticas frias, incapazes de criar empatia. Só ela pode interromper a indiferença diante das agressões à mulher. Um contador em destaque na capa do portal marca diariamente esses casos a fim de lembrar que há um longo caminho para acabar com esse ciclo de violência.

Últimas notícias