Homem que espancou mulher em elevador é preso durante depoimento

Alessandro Ribeiro Oliveira foi até a Delegacia de Atendimento à Mulher de Valparaíso (GO) e acabou acusado de lesão corporal

ReproduçãoReprodução

atualizado 10/01/2019 14:06

O homem flagrado agredindo uma mulher dentro do elevador de um condomínio residencial em Valparaíso (GO) foi preso pela Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) da cidade goiana, localizada no Entorno do Distrito Federal, nesta quinta-feira (3/1). A detenção de Alessandro Ribeiro Oliveira ocorreu durante depoimento. Ele teve a prisão preventiva decretada e responderá por lesão corporal.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Ísis Santana Leal, Alessandro alegou ter cometido as agressões porque “estava embriagado”. “Disse que a agrediu após não encontrá-la em casa, mas que não se lembra de muita coisa”, contou a delegada ao Metrópoles.

PCGO/Divulgação

Nessa quarta (2), a vítima também esteve na Deam para prestar depoimento. A mulher agredida afirmou ter sido pega de surpresa e não soube dizer o que deu início às agressões do marido. O crime ocorreu em 29 de dezembro de 2018.

A vítima relatou apenas que estava na área comum do prédio e ia voltar para casa, mas, quando entrou no elevador, passou a ser atingida com socos e tapas pelo marido. Segundo ela, o homem disse que estava bravo porque chegou na residência da família e não a encontrou. A delegada não repassou o nome do agressor a fim de não expor a mulher agredida.

À polícia, ela afirmou, ainda, que não tinha a intenção de registrar ocorrência e nem mesmo seguir com o processo. A vítima disse que essa foi a primeira vez que o marido a agrediu. Ela também se recusou a pedir medidas protetivas. O casal está junto há 13 anos.

“Vamos seguir ouvindo outras testemunhas e colher o depoimento do autor ainda nesta quinta-feira [3/1]. Após os depoimentos, vamos indiciá-lo por violência doméstica no âmbito da Lei Maria da Penha”, explicou a delegada Isis Leal, da Deam.

Sobre o caso
As agressões ocorreram no último sábado de 2018 (29/12). Sem camisa, o homem arrasta a mulher para dentro do elevador e, com uma lata de cerveja nas mãos, desfere golpes contra ela. Além dos socos, ele chega a jogar a lata de bebida no rosto da vítima.

Na sequência, o material que reveste o interior do elevador cai em cima do acusado, mas nem assim ele deixa de esmurrar a mulher. O síndico do prédio disse que descobriu a agressão ao checar as imagens para apurar outro problema no condomínio. O homem afirmou que o casal se mudou há pouco tempo para o local e não foi mais visto após a divulgação do espancamento.

Caso recente
Há menos de um mês, em 14 de dezembro de 2018, um outro vídeo de violência contra mulher chocou o país. A advogada Luciana Sinzimbra gravou imagens dos abusos que sofria sem que seu companheiro soubesse.

O piloto Victor Augusto Amaral Junqueira foi flagrado espancando a ex-namorada no apartamento dela, no Setor Marista, em Goiânia (GO). A vítima registrou ocorrência no dia seguinte e contou às autoridades policiais que namorava o autor das agressões havia três anos. Ela relatou, também, não ter sido a primeira vez que foi atacada.

No dia da filmagem, o casal retornava de uma confraternização do trabalho de Luciana. É possível ouvi-la dizer: “Você vai me matar desse jeito”. Em entrevista ao Metrópoles, na segunda-feira (31/12), a advogada contou que as agressões duraram pelo menos uma hora e meia.

Durante 2019, o Metrópoles se dedicará a escrever todas as trajetórias de vida das mulheres que vão sangrar enlaçadas em relacionamentos nocivos. O olhar feminino e sensível das profissionais envolvidas no projeto irão humanizar as estatísticas frias, incapazes de criar empatia. Só ela pode interromper a indiferença diante das agressões à mulher. Um contador em destaque na capa do portal marca diariamente esses casos a fim de lembrar que há um longo caminho para acabar com esse ciclo de violência.

 

Últimas notícias