Um crônica aos pomelkófilos, os colecionadores de saca-rolhas

Sou colecionador de saca-rolhas assumido e tenho o costume de comprar peças sempre que viajo

atualizado 31/01/2020 15:52

Viajando pela região da Toscana, na Itália, com um grupo de amigos, chegamos a San Gimignano, uma joia da arquitetura medieval, com suas torres que eram construídas por famílias rivais que disputavam sobre quem construiria a mais alta. No seu auge, existiam cerca de 70 torres, sendo que hoje restam 14 delas.

Foto: Arquivo pessoal
Me arrisquei a desenhar a cidade no meu caderno Moleskine

Passeando por suas ruas, deparei-me com uma feira de antiguidades e logo fui procurar uma peça para a minha coleção de saca-rolhas. Sim, eu coleciono saca-rolhas. Mais uma coleção dentro da minha coleção de coleções.

Explicando daqui e dali, gesticulando bastante, cheguei ao nome do negócio em italiano: cavatappi! Aí ficou mais fácil, e localizei um bem especial. Uma antiguidade! Peça única! Totalmente diferente de todos que já possuía.
Quanto costa?
Venti euro!
Pagato quindici!
Venduto!

Peguei o saca-rolhas todo feliz! Embrulhado dentro de uma sacola – 38 centímetros de altura por 15 de largura,  1 quilo e meio de peso. Enquanto caminhava, parecia que ia ficando maior e mais pesado. Minha felicidade ia sendo substituída por uma leve preocupação. Como Madame E. (minha companheira de vida) iria reagir a essa aquisição? E, uma outra preocupação, esta mais prática, como iria enfiar aquilo dentro da minha mala já lotada.

Deixarei de registrar os comentários de Madame E. e a dificuldade em arrumar a mala, mas, poucos dias depois, estávamos em Milão, saindo da visita ao afresco da Última Ceia, obra magistral de Leonardo Da Vinci, localizado dentro do refeitório do monastério de Santa Maria delle Grazie.

Perto de lá há um antiquário. Ao entrar, com que me deparo? Outra antiguidade e peça única! Igualzinho ao meu.
Quanto costa?
Quattrocento euro!
– ……………….!!!!!!!!

Fui correndo, todo empolgado, contar para Madame E. que o saca-rolhas de €15 estava por €400. Comentário dela: “Então vende o seu para ele por €200”. Assunto finito!

Eu sou um pomelkófilo e não sabia!

Pesquisa daqui e pesquisa dali descobri que os colecionadores de saca-rolhas são chamados de “pomelkófilos”, o resultado da união de três palavras gregas: “poma” (rolha), “elkein” (puxar) e “Philo” (amante).

Parte da minha coleção

Pelo mundo tem muitas formas de se dizer saca-rolhas, assim, para facilitar a vida dos meus colegas pomelkófilos em suas aquisições, seguem algumas delas em diversos idiomas.

Últimas notícias