*

Há algumas semanas, uma notícia pegou muitas pessoas de surpresa e deixou viajantes bem chateados e, principalmente, preocupados. O excesso de turismo teria obrigado o governo a fechar a praia mais famosa da Tailândia, a Maya Bay –  eternizada no filme A Praia, estrelado por Leonardo DiCaprio.

Depois do bafafá, Worapoj Lomlim (chefe do Parque Nacional de Ko Phi Phi) explicou: “Maya Bay estará simplesmente proibindo todos os barcos a acessarem a praia através da baía durante o período de junho a setembro. A vida marinha e os corais precisam de tempo para se recuperar. Entretanto, o local não será fechado aos visitantes, uma vez que as pessoas ainda poderão chegar a pé de baía próxima, onde as embarcações poderão parar”.

O turismo precisa ser consciente e o menos degradante possível. Além disso, fica a reflexão: até que ponto vale a pena ir a um destino internacional super em alta e encontrar um fluxo absurdo de pessoas, atrapalhando a vista, lotando os pontos de visitação e te fazendo perder a calma das férias?

Isso tudo sem contar passagem e hospedagem com preços elevados graças à alta demanda. Locais não tão conhecidos proporcionam viagens quase exclusivas e, muitas vezes, mais econômicas.

O site Melhor Câmbio fez uma seleção de cinco destinos incríveis para visitar em 2018, enquanto ainda não são tão populares:

1. Safáris e canyons da Namíbia
Variedade cultural e étnica, paisagens rústicas e vida selvagem descrevem um pouco a Namíbia, país africano que já pertenceu à África do Sul. Além de ótimos safáris, onde é possível ver bem de perto antílopes, elefantes, zebras, entre outros, o local encanta com atrações, como o segundo maior canyon do mundo, o Fish River – o qual “perde” apenas para o Grand Canyon (Estados Unidos) –, e as dunas de Sossusvlei, com impressionantes 400 metros de altura. Boa pedida para quem gosta da beleza intacta da natureza e a calma dos animais em seu habitat natural.

 

2. A mistura do ancestral e do moderno da Coreia do Sul
A cultura chinesa do confucionismo e a arquitetura futurista das grandes cidades japonesas se misturam na Coreia do Sul, um destino surpreendente para quem deseja conhecer a Ásia. A metade sul da península coreana – globalizada e democrática – é bem diferente da vizinha, a república comunista Coreia do Norte.

As atrações começam em Seul, misturando tradição com modernidade, passam pelas regiões históricas, como a cidade-museu Gyeongju, e acabam em paisagens naturais, como a cratera vulcânica Seongsan Sunrise Peak, formada há 5 mil anos.

 

3. Sete mil ilhas de areia branca e mar límpido das Filipinas
Formada por sete mil ilhas, as Filipinas têm praias de areia branca, águas cristalinas, vida selvagem em meio a formações rochosas únicas e atividade vulcânica que fazem qualquer um ficar de boca aberta.

Cada ilha desse país do Sudeste Asiático tem suas peculiaridades, permitindo a formação de vários roteiros.

Entre as mais visitadas estão a capital Manila, de colonização espanhola e bastante cosmopolita; Palawan, silvestre e cartão de visita do país; Cebu, repleta de cachoeiras; e Bocaray, destino para quem gosta de um bom ritmo de happy hour e festa.

4. Praias, trilhas e florestas da Colômbia
Quem deseja se aventurar em um território “hermano” menos explorado pode considerar a Colômbia. Localizado a noroeste do continente, o país tem muito a oferecer. Além das cidades grandes e mais visadas, como Bogotá e Medellín, há montanhas, praias, florestas e pequenos pueblos a serem visitados.

Entre os destinos mais interessantes, estão o Parque Tayrona, no caribe colombiano, com águas cristalinas e areia branca, a Ciudad Perdida, espécie de Machu Picchu que já pertenceu a uma antiga civilização famosa pela prática de trekking, e El Santuario de Nuestra Señora del Rosario de las Lajas, uma majestosa catedral de estilo gótico, escondida no sudoeste do país.

5. Paisagens cenográficas e roteiros de trekkings das Ilhas Faroé
As casinhas com telhados cobertos de grama, que ajuda a esquentar os lares nas Ilhas Faroé, compõem um cenário incrível, contando ainda com falésias cortadas por cachoeiras, lagos, trilhas e mirantes. O arquipélago de oito ilhas, pertencente à Dinamarca, oferece uma rica vida selvagem a ser explorada, com roteiros de hiking para desbravar as quase 350 montanhas.



COMENTE

 
Coreia do SulviagemColômbiaDinamarcafilipinas2018namíbiadestinos alternativos

Leia mais: Turismo