Na Noruega, influenciadores serão obrigados a sinalizar fotos editadas

A iniciativa faz parte dos esforços do governo norueguês de conter a dismorfia corporal no país

atualizado 02/07/2021 11:09

Getty Images

Por meio de emendas à Lei de Marketing 2009, a Noruega passa a proibir que influenciadores digitais compartilhem imagens retocadas sem sinalização. A iniciativa faz parte dos esforços do governo norueguês de conter a distorção de imagem no país.

A nova regra estabelece que posts patrocinados com alterações deverão ser marcados com uma etiqueta padronizada, desenvolvida pelo Ministério da Criança e da Família.

A norma deve ser seguida por celebridades, influenciadores ou pessoas que “recebem qualquer pagamento ou outro benefício” para criar anúncios nas redes sociais — e vale tanto para as edições feitas após as fotos serem tiradas, quanto para as imagens criadas por meio de filtros.

0

Quem violar a lei será obrigado a pagar multa. Quanto mais vezes as regras forem infringidas, mais caras as multas serão. Em casos extremos, os infratores poderão parar na cadeia.

A expectativa do governo norueguês é de que, com a sinalização, o público consiga discernir quando uma imagem corporal apresentada é irreal. O próprio Ministério, no entanto, reconhece que a lei será de difícil aplicação, uma vez que não é simples identificar quando uma foto ou um vídeo foi manipulado.

Os influenciadores do país parecem ter recebido bem as mudanças. Em entrevista ao jornal Verdens Gang, a influenciadora Annijor Jørgensen disse: “Filtros deveriam ser algo divertido, algo que te faz dar risada. Não algo que cria um falso padrão de beleza”.

A intervenção vem como uma resposta ao conceito de “kroppspress“, ou pressão estética em norueguês. “A pressão estética sempre está lá, muitas vezes imperceptível e difícil de combater”, declarou o ministro em nota. “Esperamos que essa medida seja uma boa contribuição para o impacto negativo que a publicidade tem, principalmente nos jovens”, concluiu.

Vale lembrar que, em fevereiro deste ano, uma legislação semelhante foi aprovada no Reino Unido. A Advertising Standards Authority (ASA), órgão regulador das propagandas na região, determinou que influenciadores não poderão mais utilizar filtros considerados “enganosos” em propagandas de beleza. A norma determina que os recursos não devem ser usados em posts patrocinados voltados para os cuidados com a pele. As postagens que violarem a regra serão banidas das redes sociais.

Últimas notícias