*

Apesar de ter recebido denúncias por usar mão de obra escrava, a Zara parece não ter mudado algumas condutas. Trabalhadores terceirizados na Turquia estão protestando contra a gigante espanhola de uma forma incomum.

Em vez de exporem as reclamações nas redes sociais ou ocuparem as ruas, esses operários decidiram se queixar dentro de lojas da Zara. Algumas roupas receberam novas etiquetas com a mensagem: “Eu fiz este item que você vai comprar, mas não fui pago por isso”.

Os turcos exigem três meses de salários atrasados e indenizações. Nas etiquetas, eles revelam que foram contratados pela empresa “Bravo”, fechada após as denúncias virem a público.

Nenhum comentário sobre o assunto foi feito pela Zara, Bravo ou Inditex – conglomerado que é dono da marca de roupas espanhola.



COMENTE

 
modazaraexploração no trabalho