*

Os tempos são de mudança em Hollywood. O mais importante polo de cinema do mundo foi abalado em outubro com as denúncias de estupro e assédio sexual contra o poderoso produtor Harvey Weinstein e outros homens importantes da indústria.

Como consequência, mais de 300 mulheres do universo do entretenimento assinaram um manifesto chamado “Time’s Up” (“o tempo acabou”, em tradução livre).

Além do texto empoderador, o grupo lançou uma plataforma para ajudar vítimas de assédio sexual no trabalho. Várias atrizes e produtoras famosas como Reese Whiterspoon, Kerry Washington, Emma Stone, Shonda Rhimes, Eva Longoria e America Ferrera assinaram o manifesto do site.

“Nós reconhecemos nosso privilégio e o fato que temos acesso a enormes plataformas para amplificar nossas vozes. Isso ajudou a chamar atenção para a existência desse problema na nossa indústria. Mas em outros setores, não funciona dessa maneira”, diz uma parte do texto chamado Carta de Solidariedade.

A iniciativa inclui um fundo de defesa legal que já arrecadou cerca de U$ 13 milhões em doações. O dinheiro será destinado para ajudar mulheres com menos condições de denunciarem assédio sexual. O site também informa quais são os direitos femininos e quais medidas podem ser tomadas.

O “Time’s Up” tem uma seção para estatísticas de assédio, com números para apontar a frequência e a impunidade de crimes contra as mulheres. A campanha ainda pede que as atrizes, diretoras, roteiristas e produtoras usem preto no tapete vermelho do Globo de Ouro no domingo (7/1) como forma de protesto.

Seções específicas foram criadas dentro da organização para garantir os direitos de mulheres negras, LGBT+ e outros grupos marginalizados. “Ninguém quer olhar para trás e dizer que elas ficaram de lado”, afirmou a atriz de “Master of None” Lena Waithe ao The New York Times.

“Se esse grupo de mulheres não consegue lutar por um modelo para mulheres com menos poder e privilégio, então quem pode? Chegamos à conclusão que tudo é possível, por que não deve ser?”, questionou Shonda Rhimes, produtora executiva de séries de sucesso como “Grey’s Anatomy”, “Scandal” e “How To Get Away With Murder”.

Saiba quem são algumas das mulheres que assinaram o manifesto do “Time’s Up”: