*

As mulheres são assediadas o tempo todo. Na rua, em casa, dentro do transporte público ou do Uber, é difícil apontar onde elas não sofrem abuso. Apesar do debate sobre estupro estar cada vez mais presente na sociedade, ainda há quem acredite que os casos são esporádicos.

A campanha #MeToo foi criada justamente para mostrar a magnitude deste problema. A ideia surgiu após denúncias de estupros cometidos pelo produtor cinematográfico Harvey Weinstein se espalharem por Hollywood. A atriz Alyssa Milano recebeu aceitou a sugestão de uma amiga e lançou a hashtag.

Em seu Twitter, ela pediu aos usuários que já foram assediados ou estuprados respondessem com “me too” (“eu também”, em inglês). Só a postagem da ex-estrela de “Charmed” recebeu 61 mil respostas, além de 22 mil replies e 45 mil curtidas.

A hashtag cresceu e inspirou mulheres ao redor do mundo. Na segunda-feira (16/10), apenas um dia após sua criação, ela já tinha sido tuitada mais de 1 milhão de vezes, segundo a CNN.

Famosas como Lady Gaga e Patricia Arquette publicaram a campanha em seus murais. A atriz Evan Rachel Wood participou do #MeToo e falou sobre seus abusos: “Ser estuprada uma vez facilitou o segundo caso. Meu corpo lembrava, então me protegeu. Eu desapareci”.



COMENTE

 
feminismo#Assédio#metoo