5 vezes em que Manu Gavassi mostrou feminismo e empatia no BBB20

Apesar de já ter sido "cancelada" por falas polêmicas, participante declaradamente feminista levantou temas importantes no reality show

Reprodução /Instagram

atualizado 01/04/2020 18:46

A disputa histórica entre Manu Gavassi e Felipe Prior no BBB20 foi comparada, na internet, a um racha político entre direita e esquerda. De um lado, o último idealizador do teste de fidelidade, apoiado por figuras como Eduardo Bolsonaro.  Do outro, Manu, que conseguiu permanecer “na Disney” mesmo diante das posturas machistas de seu adversário e o título de fada sensata, que muita gente rechaça fora do programa.

Contudo, embora também seja autora de comentários infelizes, como quando elogiou Marcela e Daniel por formarem um casal “esteticamente agradável”, Manu Gavassi tem construído uma trajetória necessária no reality show.

Muitos de seus momentos reforçam que, embora tenha muito a aprender, inclusive com Prior, Manu desepenhou um papel fundamental nesta edição. Como? Levantando temas que predominaram em debates dentro e fora do programa, como sororidade.

0

Veja cinco momentos coerentes e militantes de Manu:

“Meninas, vamos destruí-los”

Além de nunca ter duvidado de Marcela e Gizelle sobre o teste de fidelidade, Manu Gavassi incitou uma verdadeira revolução feminina ao saber o que os homens estavam armando.

“Sororidade”

Ela também fez a busca pelo termo sororidade aumentar 150% no Google. A cantora usou a palavra para justificar seu voto em Prior, durante votação aberta do BBB 20. Sororidade é a união e aliança entre mulheres, baseado na empatia e companheirismo, em busca de alcançar objetivos comuns.

Acolhimento

Quando Guilherme e Gabi protagonizaram uma crise no relacionamento, Manu foi procurar a amiga e saber se algo estava acontecendo, sem julgá-la. Ela e Rafa também acolheram a mineira quando Guilherme saiu e compraram brigas para defendê-la.

Empatia

Em conversa com amigas de confinamento, Manu disparou: “você não precisa ser homossexual pra sentir a dor de alguém ser espancado na Av. Paulista, é dor suficiente mesmo você sendo heterossexual. A mesma coisa quando você vê alguém passando por racismo, isso é empatia”.

E mais empatia

Manu e Rafa foram as únicas a dar suporte à Thelma quando Daniel lhe sentenciou ao castigo do monstro. Elas ainda levaram outros brothers para fazem companhia à médica, para que ela não se sentisse sozinha e excluída.  Prova de empatia e amizade verdadeira.

Últimas notícias