Matheus Ilt te ensina como reformar a casa gastando pouco

O paranaense ganhou milhares de seguidores compartilhando projetos fáceis e baratos nas redes sociais

atualizado 31/05/2019 19:34

MATHEUS ILT/DIVULGAÇÃO

Com cabelo cor-de-rosa, bom humor e senso estético moderno, o paranaense Matheus Iltchechen, 24 anos, tem ganhado as redes sociais com publicações repletas de ideias criativas para decoração e reforma de ambientes. Seguindo a linha DIY (Do It Yourself ou faça você mesmo, em tradução livre), Matheus Ilt já passou os 75 mil seguidores no Instagram.

Em vídeos de poucos minutos, Ilt te ensina a transformar um ambiente sem graça em um que parece saído do Pinterest. E com um bônus: sem gastar muito. Jornalista e fotógrafo de formação, Ilt sempre foi muito atraído pelo visual. Na infância, dava pitacos na decoração de casa e nas roupas da mãe, mas suas opiniões não eram levadas a sério por ela.

“A minha mãe não me escutava muito. Só quando eu entrei na faculdade e comecei a ganhar o meu próprio dinheiro que eu pude reformar o meu quarto”, lembra. Ele começou pintando uma parede, montando a própria cama de palete e o rodapé do quarto. Mesmo as pequenas reformas exigiam criatividade e imaginação para serem feitas com o orçamento apertado.

Suas principais inspirações vêm do Pinterest. Depois de horas de pesquisa, ele começa a visualizar o que pode ser feito no cômodo que pretende repaginar. No Brasil, os trabalhos dos arquitetos Maurício Arruda e do designer Paulo Biacchi são as suas maiores referências.

“O Paulo foi o precursor do DIY no Brasil, na minha opinião. Já o Maurício mostra como lidar com obras no estilo bem brasileiro no programa Decora, do canal GNT. Eu também gosto muito do Jonathan e Drew Scott, os gêmeos do programa Irmãos à Obra, mas é outra realidade, com instalações bem diferentes das nossas”, explicou.

0

Suas reformas são essencialmente estéticas, sem envolver a parte estrutural. “É uma reforma mais de aparência, pintando, colocando tapetes e plantas. Eu sei até onde posso ir”, ressalta.

Ilt nunca entrou em uma sala de aula dos cursos de arquitetura, engenharia ou design de interiores e sabe até onde pode ir em uma obra, sem comprometer a estrutura do local. Tudo o que aprendeu foi na observação e na prática, com o pai.

“O meu know how veio de dentro da minha própria casa. O meu pai é pedreiro, marceneiro, pintor e mais um monte de coisas. Ele me ensinou o básico, como cortar uma madeira, os parafusos certos para cada coisa e outras técnicas. Ele falava: ‘você vai precisar saber disso para a vida. Um dia vai ter que trocar um chuveiro'”, lembra.

Matheus ressalta que reforma apenas cômodos de amigos e familiares, mas sem remuneração financeira. “É uma área que eu não quero ultrapassar”. Futuramente, ele pretende fazer cursos de marcenaria, elétrica e design de interiores para se aperfeiçoar.

Apesar da admiração que tem pelo pai e pelo o que aprendeu com ele desde a infância, Matheus não sabe a posição dele sobre os projetos que desenvolve, pois não se falam há três anos, desde que decidiu se mudar para Curitiba com o namorado, Célio Olizar.

Primeiras reformas
Olizar é o grande incentivador de Matheus. Após observar o namorado fazer pequenas reformas no apartamento onde moram em Curitiba, ele pediu que Ilt passasse a compartilhar seus trabalhos nas redes sociais, aproveitando que Matheus pretendia reformar a cozinha, mas impôs uma condição:

“Ele falou que eu só iria fazer a reforma se postasse no Instagram. Aceitei, mas postei do meu jeito, com um conteúdo leve e engraçado, sem termos técnicos. Queria que as pessoas se interessassem pelo conteúdo, dizendo o que deu certo, o que não deu e o que eu aprendi na hora”, lembra Matheus.

No início ele achou que ninguém se interessaria. “Eu achava que trocar uma luminária era uma coisa muito óbvia”, brincou.

Matheus Ilt/Divulgação

Uma das características das reformas de Matheus é o custo reduzido. Nos projetos compartilhados, ele mostra que é possível mudar completamente um ambiente por até R$1.500, sendo a maior parte da verba destinada para móveis e objetos que não podem ser produzidos por ele mesmo.

Os vídeos rápidos e bem produzidos escondem horas de pesquisa e dias de reforma. “Quando eu sei o que eu quero e me concentro, o projeto demora mais ou menos uma semana, parando para fazer as filmagens”.

Ele não esconde que as obras sempre têm um ponto mais difícil. “Cada reforma tem um nível de dificuldade e sempre tem um ponto que desgasta e é demorado”, revela. “Chega um ponto que eu penso ‘eu não sei fazer isso’ e a reforma não vai para frente. Nessa hora eu paro, me acalmo, me alimento, tomo uma água, faço algumas pesquisas, volto e resolvo”, revela.

0

 

Há um ano, o paranaense participou do Missão Design no GNT, programa voltado para arquitetos e decoradores, e ganhou, mesmo sendo o único concorrente sem formação na área. “É muita tensão. Você está super concentrado e, de repente, tem que parar para a gravação”, lembra.

O convite surgiu logo depois que postou fotos da cozinha de Curitiba, quando marcou Arruda no post, sem nenhuma perspectiva. O arquiteto viu, repostou e compartilhou a postagem. Na época, uma das diretoras do programa também passou a seguir o rapaz nas redes sociais. Foi daí que surgiu o convite para a participação.

“No programa, eu decorei para mim. Não sabia como agradar os jurados. Foi um grande desafio entender se eu seria capaz de ser compreendido por um arquiteto”, lembra.

Lavanderia e sala
Depois da cozinha, veio a sala, decorada com um rack feito de armário escolar, luminárias suspensas e paredes nas cores branco e cinza. Foi então que alguns perfis de decoração notaram o rapaz e começaram a compartilhar os trabalhos dele. E então o número de seguidores disparou.

“Muita gente só está esperando uma oportunidade para colocar a mão na massa. Eles vêm os vídeos e comentam: ‘Meu Deus! Eu quero isso na minha casa'”. Ao menos uma vez por mês, ele recebe fotos de alguém que pintou uma parede ou fez uma bancada inspirada em seus projetos.

Mas, apesar de serem projetos fáceis – levando em consideração que não envolvem mudança do piso, parte elétrica ou hidráulica –, Matheus afirma que a maioria dos seguidores ainda não se envolve diretamente. Para algumas pessoas, é apenas um entretenimento. “Elas falam: ‘Faz pra mim!'”, completou.

0

 

Quarto com cabeceira de hexágonos
Uma dos maiores desafios de Matheus foi o que lhe rendeu mais curtidas nas redes sociais. O cômodo azul da cunhada Anna Raquel, “com cara dos anos 2000”, como ele descreve, foi transformado em um ambiente moderno.

“O quarto estava feio, ela precisava de uma ajuda e eu, gerar conteúdo”. Em uma semana, ele fez uma cabeceira completa feita de hexágonos, pintou o teto para neutralizar o piso, revestiu o armário com papel contact, trocou a iluminação do quarto, pintou a janela, acrescentou blackouts a elas e mudou a posição da cama. “Pequenas coisas que mudaram o visual do cômodo”, garante.

0

 

Depois dos projetos e da visibilidade que ganhou, Matheus fechou algumas parcerias comerciais, a maior delas com a rede de lojas de materiais de construção e decoração Leroy Merlin. A união lhe rendeu o quadro Hoje Tem, no Casa de Verdade, canal da marca no Youtube. Uma vez ao mês, Matheus viaja para São Paulo, onde grava dois vídeos ensinando técnicas simples de decoração e reforma que mudam um ambiente.

Ele já ensinou a fazer pintura de parede geométrica e degradê, cabeceira hexagonal, banquinho de pelúcia, tapete colorido com stencil, canteiro de blocos de concreto e um interfone vintage.

Recentemente, Matheus reformou a área externa do apartamento do youtuber Federico Devito. Transformou os 30m² do influenciador digital em um lounge com grama sintética, deck de madeira (opção para não mexer no piso), parede viva revestida com plantas sob canos de PVC e uma parede com lâmpadas. A obra foi realizada em dois dias, com a ajuda de Célio e uma pequena equipe de assistentes.

 

Matheus Ilt dá cinco dicas para quem pretende se arriscar no DIY:
– Antes de começar, reserve um tempo para pesquisas. “O Pinterest está cheio de ideias. Busque referências mais simples”;
– Comece fazendo trabalhos de menor dificuldade, como pintar uma parede;
– Pendure os seus próprios quadros na parede. “Você vai entender como é difícil deixar uma moldura alinhada”;
– Dispense o serviço de montagem de mobiliário. Montar os seus próprios móveis vai te dar uma noção de como eles são fabricados;
– Procure um profissional especializado para os setores mais estruturais como trocar um piso, encanamentos e eletricidade.

Aprenda a fazer a cabeceira de hexágonos:

Últimas notícias