Dona Wanda: a história da mãe que pediu à Boticário perfume para lembrar do filho, vítima de Covid

Apelo da artista de 78 anos fez a 2ª maior empresa de beleza do Brasil voltar a produzir perfume preferido de seu filho: "Aroma nostálgico"

atualizado 01/05/2021 9:30

Arquivo pessoal

A memória olfativa comprovadamente ultrapassa a capacidade da visão e da audição de acionar lembranças e emoções. Permite que a pessoa viaje no tempo e no espaço assim que um aroma emblemático cruza seu caminho. A fragrância marcante de uma grama recém-cortada, por exemplo, pode remeter instantaneamente às tardes de brincadeira com os primos no quintal dos avós. Já a essência de um bolo de chocolate pode evocar recordações de um ente querido que já faleceu. Dona Wanda Terra, de 78 anos, conhece bem esse poder dos aromas. Recentemente, ela foi a protagonista de uma história sensorial que cativou um dos homens mais poderosos do país e espalhou o perfume da empatia por todo o Brasil.

O enredo dessa trama teve início em 19 de março. Nessa data, a pintora do Rio de Janeiro foi flagrada pela irmã de sua nora abraçada a um frasco antigo de perfume, com apenas mais um dedinho de produto, após Alexandre Terra, um de seus três filhos, não resistir à Covid-19. “Essa fragrância era a favorita do meu filho. Eu só usava quando ele vinha me visitar. Ele dizia que esse perfume tinha cheiro de mãe”, confidenciou à jovem.

Sensibilizada, a irmã da nora de dona Wanda, Karyne Leão, decidiu comprar outros exemplares da fragrância para preservar esse laço entre mãe e filho. “Descobri, então, que o perfume Annete, do Boticário, havia sido descontinuado há muito anos”, revela Karyne, em entrevista ao Metrópoles. Determinada a não cessar a busca pelo produto, ela teve a ideia de relatar o caso nas redes sociais com a esperança de que a marca voltasse a produzir algumas unidades. E foi quando essa história tomou uma proporção inimaginada.

Trecho do relato de Karyne Leão. O texto foi publicado no Instagram do Boticário e gerou enorme repercussão. Ao contrário do que diz a mensagem, dona Wanda tem 78 anos

O caso não apenas chegou aos ouvidos do fundador e atual presidente do Grupo Boticário, Miguel Krigsner, como também emocionou o executivo, um dos mais importante do país. Em uma carta escrita à mão para dona Wanda, o empresário acatou o pedido de retomar a fabricação do perfume, apenas em homenagem à mãe que está de luto.

“Querida Dona Wanda, tomamos conhecimento do significado que esse perfume Annete tem nas suas memórias. Resolvemos, com o apoio da nossa equipe de fábrica, fazer algumas unidades desta fragrância, especialmente para você. Queria te contar que Annete é a minha primeira filha e que o perfume foi criado por ocasião do seu nascimento”, diz a mensagem.

O desfecho coberto de afeto viralizou na internet e causou comoção nacional, espalhando uma onda de positividade pelo país. “Chorei ao ler! Precisamos mesmo dar as mãos neste momento difícil. Empatia é tudo”, comentou uma internauta.

Resposta do fundador Miguel Krigsner. Segundo dados do Euromonitor, o Boticário é a segunda maior empresa de beleza do país, atrás apenas da Natura
Dona Wanda

Detentora de uma fé inabalável, dona Wanda afirma que ainda está remendando o coração após a morte do filho. “Alexandre pegou o coronavírus no trabalho. Ele enfrentou uma dolorosa batalha contra a doença por quase dois meses. Foi intubado, traqueostomizado. Faleceu no dia 4 de março, aos 46 anos, deixando uma filha adolescente”, conta, com a voz embargada.

Ela ressalta que, por trás de cada vítima da pandemia, existe uma família que também ficou doente de dor e saudade. “A verdade é que estamos sendo devastados por uma guerra. Essa doença muda a vida dos que se foram e daqueles que ficaram, em termos emocionais e práticos. A mulher e a filha do Alexandre, por exemplo, foram obrigadas a remodelar toda a rotina. Até mudar de estado elas precisaram”, diz.

No entanto, ao mencionar a homenagem do Boticário, a artista e avó orgulhosa de quatro netos esquece por instantes o momento de dor e chega a esboçar sorrisos. “Foi um ato de muita sensibilidade, do Miguel e da Karyne. Em períodos delicados, ações pequenas mas sensíveis como essa fazem toda a diferença. Mudam o mundo. Precisamos olhar com mais empatia ao próximo, estender a mão”, opina.

A pior crise de todas, afinal, é a falta de afeto.

Dona Wanda, 78 anos

O seu primeiro Annete, recorda-se, foi um presente do marido, Toninho, falecido há dois anos. “Ganhei no meu aniversário a muitos e muitos anos atrás. O presente virou tradição familiar, até ser descontinuado”, rememora.

0

Dona Wanda também demonstra felicidade ao falar sobre a repercussão da história. “O caso foi noticiado até em jornais internacionais. Amigos do Canadá, da Alemanha e da França me mandaram mensagens surpresos e emocionados”, exclama. “Ainda recebi muitos recados comoventes de pessoas que também se apegam a perfumes para lembrar de seus entes queridos”, complementa.

Para as famílias em luto como a dela, a pintora não abre mão de deixar uma mensagem de acalento. “Para todos que estão chorando neste momento, lembrem-se: a gente só perde aquilo que não sabe onde está. Mas nós sabemos onde estão os nossos entes queridos e, na eternidade, estaremos todos juntos, crescendo e evoluindo”, finaliza.

Aroma exclusivo

Na última terça-feira (27/4), dona Wanda recebeu três frascos do perfume Annete. As embalagens do produto vieram personalizadas, com o nome dela e do filho, e foram entregues por uma pessoa de confiança do Boticário.

Até o fechamento desta reportagem, a marca não confirmou se, após tamanho burburinho, o retorno definitivo do produto é cogitado.

Para agradecer o gesto de Miguel Krigsner e de toda a equipe da tradicional botica, fundada em 1977 em Curitiba, no Paraná, dona Wanda pintou o quadro de uma helicônia, planta nativa da mata atlântica, tema que permeia constantemente suas obras.

O poder da memória olfativa

Intensa, a ligação entre o cérebro e o olfato gera mesmo recordações imediatas. A neurocirurgiã Michelle Nuback, da Aliança Instituto de Oncologia, explica que o olfato está diretamente conectado ao sistema límbico, parte do cérebro em que se concentram as memórias e nascem as emoções. Por isso, ao sentir um determinado cheiro, as lembranças são automaticamente ativadas.

A especialista ainda revela por que os cheiros são um gatilho mais forte para as lembranças quando comparados à visão. “O bulbo olfativo, responsável por processar os aromas, está em uma região do cérebro mais perto do local em que são acionadas as memórias e emoções”, elucida.

A ciência confirma: a memória olfativa ultrapassa a capacidade da visão e da audição de despertar memórias e emoções

O mesmo afirma um estudo realizado pelo Weizmann Institute of Science, em Israel. Os pesquisadores da instituição identificaram que o córtex olfativo tem uma ligação direta com o hipocampo, enquanto os outros sentidos (visão, audição e tato) são primeiramente processados em outros lugares do cérebro, para depois chegarem ao centro de memória.

Portanto, dona Wanda está, de fato, agarrando-se a um dos melhores bens materiais para se reconectar às memórias do filho: um (ou melhor, três) frasco de perfume.

Últimas notícias