*

Para os brasilienses que guardam com carinho o tapete mágico do parque de diversões Nicolândia nas memórias, visitar o espaço hoje em dia pode ser uma experiência completamente diferente. As atrações que permeiam o imaginário de muitos adultos deram lugar a outros brinquedos.

A placa de entrada já anuncia que aquele local não é o mesmo de antigamente: nela está escrito Nova Nicolândia. Mas engana-se quem pensa que a diversão se perdeu com toda essa mudança. No coração do Parque da Cidade, o playground continua reunindo e agradando gente de todas as idades e gostos.

Certamente o parque será a escolha de muitos pais e pequenos neste Dia das Crianças. O Metrópoles visitou-o no último domingo (9/10), pediu dicas aos frequentadores e testou os principais brinquedos do espaço. Após muito frio na barriga, risadas, tonturas, ânsias de vômito passageiras e um problema técnico em uma das atrações, reunimos as melhores dicas para os mais novinhos, e também para adolescentes e adultos.

Para crianças

1 – Ferris Wheel

Giovanna Bembom / Metrópoles
A roda-gigante do parque já é um novo símbolo de Brasília. Totalmente iluminada, pode ser avistada desde os setores hoteleiros e a partir da Rodoviária. Um clássico por si só, atrai pequenos, adultos e famílias inteiras. Um passeio noturno rende uma vista privilegiada do complexo. Seu tamanho e suas luzes garantem brilho nos olhos das crianças e filas sempre à espera de uma cabine disponível.

2 – Happy Mountain

Giovanna Bembom / Metrópoles
Com formato de minhoca, essa montanha-russa destinada à garotada é uma das atrações favoritas das crianças. Uma volta na “Minhoquinha” dura aproximadamente um minuto, mas rende boas risadas e uma certa dose de frio na barriga aos mais novinhos. Até mesmo adultos deixam a atração com desejo de um repeteco. Vale a pena, porém, ter atenção com os cintos de segurança, que estão mal conservados.

3 – Pirate Ship

Felipe Menezes / Metrópoles
Elevando um pouco a dose de emoção, o barco pirata da Nova Nicolândia leva crianças e adultos aos risos: e a fortes frios na barriga. Para os que pisam mais fundo nas descidas das tesourinhas do Plano Piloto, uma volta no brinquedo é multiplicar a sensação em várias vezes. Na visita da reportagem, uma garota de aproximadamente 8 anos soluçava de tanto rir. Ao deixar a atração, sorrindo gritava e acenava para a mãe que a esperava. Indicado para crianças mais aventureiras.

Não dê bobeira: o trem-fantasma é perda de tempo. Uma volta de, no máximo, 15 segundos gera decepção e a sensação de que manequins de lojas no shopping causam mais espanto e arrepios no público. É a atração mais fraca do parque.

Para adolescentes e adultos

1 – Rock & Roll
111016 FM Nicolandia Dia das Criancas 008 (4)
O brinquedo que mais desperta a adrenalina do usuário acendeu o sinal verde para a emoção e o amarelo para a segurança. Apesar do sugestivo nome, músicas de pop americano e funk brasileiro embalam os carrinhos que completam voltas em uma velocidade impressionante. Segurar-se na cadeira e na barra de proteção é tarefa difícil, mas a diversão é garantida.

No entanto, a atração apresentou problema técnico justamente durante a visita da reportagem. O operador chegou a parar e reiniciar o equipamento. Questionado sobre o contratempo, o funcionário simplesmente alegou falha no brinquedo, sem dar maiores detalhes. Cerca de 20 minutos após dispersar a grande fila de espera, o Rock & Roll já rodava novamente.

2 – Grand Prix

Felipe Menezes / Metrópoles

Ruan Fernandes no carrinho de bate-bate

Clássico dos parques de diversão, o bate-bate permanece lotado na pequena pista e também na fila de espera. O encanto pelos carrinhos e pela liberdade de dirigir são motivos para adolescentes e crianças se divertirem nas inevitáveis colisões. A boa conservação chamou a atenção da reportagem de uma forma positiva, bem como a segurança por parte dos operadores que pedem para que todos usem cintos de segurança. Para quem não pretende aguardar na fila, o forte cheiro de borracha queimada contrasta com os quitutes servidos na praça de alimentação, logo ao lado.

3 – Super Frisbee

Felipe Menezes / Metrópoles
Com instruções a respeito de altura e recomendações aos que possam sofrer com enxaquecas ou labirintite, esta atração é uma das mais radicais do parque, ao lado do SkyFlyer. Mais democrático e com filas maiores, porém, o Super Frisbee é mais indicado ao público em geral, pois não gira a ponto de deixar o usuário de cabeça pra baixo e não fica parado no ponto mais alto do movimento, recurso utilizado por outros brinquedos para acelerar a adrenalina. Com duração maior do que a de outros brinquedos, garante fortes emoções aos mais corajosos, além de uma vista diferente do complexo e do Parque da Cidade.

Não dê bobeira: prepare o bolso! O preço do passaporte da alegria, que dá direito a todos os brinquedos, aos sábados, domingos e feriados é de R$100 (entrada inteira). Sites de compra coletiva, às vezes, têm cupons mais em conta. Outra dica: Para aproveitar ainda mais e economizar um pouco, por que não um piquenique debaixo de uma das árvores do Parque da Cidade junto com a família? Leve seu lanche de casa.

Renovação
Palco de acidentes, o local passou por reformas nos últimos anos que melhoraram as instalações do playground. Além disso, a praça de alimentação com várias opções de lanches, as lixeiras espalhadas pelo complexo e a aparência dos brinquedos em bom estado de conservação chamaram a atenção. Mesmo com os reparos, é necessário que, antes de levar a meninada, os pais e responsáveis fiquem atentos a alguns itens de segurança.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) divulgou, em 2011, uma regra referente aos parques de diversões. O texto trata sobre quesitos como segurança, restrições ergonômicas (indicação de altura mínima e máxima) e médicas, além de documentos de inspeções pelas quais o espaço deve passar para funcionar.

A garantia de que essas normas sejam cumpridas é do poder público. A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) informou que a Nova Nicolândia possui licença de funcionamento vigente e nenhuma irregularidade foi constatada nos últimos meses.

Os usuários, no entanto, também podem e devem prestar atenção em alguns detalhes.O presidente do Comitê de Segurança Latino-Americano da IAAPA (The International Association of Amusement Parks and Attractions) — principal referência mundial em regulamentação e normas para parques de diversões –, Francisco Donatiello Neto, diz que os pais têm de observar se há fios desencapados aparentes e a presença de oxidação e ferrugem nos brinquedos, o que indica sinais de manutenção inadequada.

Além disso, explica Donatiello, é fundamental que todos os brinquedos tenham ao lado uma ficha com as restrições ergonômicas e de saúde especificadas.



COMENTE

 
Parque da CidadeDia das CriançasNicolândia

Leia mais: Comportamento