*

Não recebeu aquela mensagem no dia seguinte? Só atrai pessoas desinteressantes? Já cansou de apertar o “não” no Tinder? O Coaching do Amor pode ter a solução para você.

Em 2015, a psicóloga Ieda Rizzo passava por uma separação e começou a refletir sobre as relações humanas. Foi para Belo Horizonte fazer um curso sobre o assunto. Ieda contemplou maneiras de repensar os relacionamentos afetivos. “Para desenvolver o coaching, peguei como pano de fundo o jogo de tabuleiro TUI”, diz. 
Felipe Menezes/Metrópoles
O jogo tem 64 casas e cada carta tem um texto que provoca a reflexão. O TUI passa também pelos sete pecados capitais. “Às vezes, a pessoa está parada na ira, quando foi traída ou abandonada, e fica vivendo o padrão da raiva sem conseguir passar para um estágio superior. Outras vezes, ela está na gula afetiva, tendo a necessidade extrema de ser amada e vista”, explica a psicóloga. No coaching, o jogo é usado em grupos.

“Quando quis fazer o primeiro retiro eu combinei de irmos para a Chapada dos Veadeiros. Falei com uns cinco pacientes que estavam vivendo temas afetivos e fomos para lá numa experiência piloto”, lembra Ieda.

O Coaching do Amor não é feito em sessões, mas em um retiro de três dias. O objetivo é ficar perto da natureza, parar e refletir. É preciso se perguntar: o que eu quero da minha vida afetiva? Quais vínculos eu estou criando? Eu quero me relacionar com alguém ou eu quero viver um conto de fadas?

Os relacionamentos românticos não são os únicos abordados no Coaching do Amor. Ieda explica que o retiro é uma forma de aprender a se relacionar consigo mesmo, família ou amigos. “Tudo isso vem à tona, porque a nossa primeira experiência afetiva vem do lar. Aquilo que você recebeu do seu pai, da sua mãe e dos seus irmãos vai influenciar sua forma de se relacionar com seus parceiros”, garante.

Felipe Menezes/Metrópoles

A origem da nossa dor é primordial, é a do abandono e de não se sentir pertencente”, afirma a psicóloga. “Redes sociais, Tinder e Happn possibilitam ficar com várias pessoas em uma noite, mas isso não traz um sentimento de pertencimento.”

Na busca de alguém que pudesse contribuir para o projeto, Ieda encontrou Vitor Shiv, terapeuta corporal que segue a linha tântrica. Dos exercícios feitos, Vitor destaca a meditação e explica que a respiração ritmada permite que o cérebro funcione de forma mais plena, porque fica melhor oxigenado.

Além disso, o terapeuta fala que o inconsciente serve como um poderoso mecanismo de defesa, mas deve ser trabalhado. “Depois de passar o trauma, o registro fica na mente e impacta principalmente nas questões de relacionamentos, intra e interpessoais. É importante sair do automático e conseguir ser inteiro, sem se importar com a aparência”, afirma.

Dicas de relacionamentos

As recomendações de Ieda para atrair o amor da sua vida são simples:

1. É preciso se amar, se perceber e se gostar.

2. Estabelecer limites, não aceitar qualquer um dentro da sua história só para estar em um relacionamento.

3. Saber o que é importante para a sua evolução nesse mundo. Se você engana e mente, está fadado a ter um relacionamento sem sucesso.

4. Pensar o que você quer e onde procurar isso. Não adianta ir para a balada procurando alguém se você fala que quer um namorado zen.

Serviço

O que: Retiro Coaching do Amor

Quando: 22 a 24 de setembro

Informações e inscrições: (61) 98201-6263



COMENTE

 

Leia mais: Comportamento