Bons drinques podem ser segredo da longevidade de Elizabeth II

Rainha toma pelo menos duas tacinhas com teor alcoólico por dia: um coquetel, no almoço, e uma taça de champagne no jantar

atualizado 30/01/2020 19:19

Getty Images

Quem acompanha o dia a dia da família real britânica já deve ter se convencido de que, apesar de todo o poder e glamour, a vida na monarquia não é das mais fáceis. Não à toa, muita gente se pergunta como a rainha Elizabeth faz para manter-se sã após mais de 60 anos no trono. Tabloides americanos acabam de desvendar o segredo.

Segundo o jornal americano Business Insider, a inglesa é “gente como a gente” e toma bons drinques diariamente para aliviar as tensões acumuladas.

Ela começa com um gim com Dubonnet, logo antes do almoço. O Dubonnet é um aperitivo francês, que consiste em uma combinação de vinho fortificado, cascas, raízes e ervas e quinino, alcaloide de gosto amargo, com funções antitérmicas, antimaláricas e analgésicas.

À noite, após realizar todas as suas obrigações, a rainha opta por uma tacinha de champagne. Hábito que pode, inclusive, contribuir para a longevidade da monarca.

Bom pra saúde

Um estudo recente da Universidade de Reading, na Inglaterra, aponta que beber champanhe três vezes por semana diminui os riscos de demência e Alzheimer.

A explicação está em um composto encontrado nas uvas pinot noir e pinot meunier, ambas presentes na champanhe. Elas estimulam células responsáveis pela memória e ajudam a proteger o cérebro contra doenças.

“A pesquisa ilustra perfeitamente a relação entre o consumo de champanhe e sua potencial influência na melhora de ações cognitivas, como a memória”, disse o professor Jeremy Spencer, um dos responsáveis pelo estudo. Por enquanto, os testes foram feitos em ratos, mas em breve serão realizados em humanos.

Últimas notícias