Como se tornar um concurseiro competitivo em 2019

Confira dicas para mudar de atitudes e ser mais produtivo nos estudos

atualizado 30/12/2018 5:57

HBR/Divulgação

O cenário para novos concursos está bem indefinido para 2019. Ainda assim, os concurseiros podem usar de estratégias para se preparar sem depender diretamente da publicação dos editais. Aproveitar o clima de renovação das energias desse período de virada do ano é indicado para impulsionar o plano de ação para os próximos 12 meses.

A Coluna Vaga Garantida preparou uma lista de dicas preciosas para criar uma estratégia de estudo prática e consistente já nos primeiros dias do novo ano:

Dica um: Você é seu melhor aliado e não seu inimigo

Adotar uma postura combativa com relação a si mesmo é desperdiçar energia. A crença de que se é o pior inimigo e precisa ser vencido estabelece uma ligação negativa entre o esforço (rotina de estudo) e a recompensa (acertar cada vez mais questões para ser competitivo nas provas). Por outro lado, estabelecer um estado de autodesafio gera um impulso para os momentos em que estar diante dos livros não é a primeira escolha.

Solução: Pare de brigar consigo mesmo e coloque-se em um estado emocional positivo com relação ao aprendizado de tantos conteúdos. Escreva uma lista de bons motivos para sentar e estudar, seja detalhista e criativo, sem a preocupação com o que poderá ou não ser realizado. Foque-se nos ganhos que terá para os diversos aspectos da vida se tornando servidor público. Deixe a lista acessível para ler e também para adicionar novos itens no futuro.

Dica dois: Transforme o tempo em aliado

A ansiedade criada com a ideia de que não haverá tempo hábil para estudar todo o edital – a estratégia mais indicada diante das mudanças na forma de cobrança das bancas examinadoras – é uma barreira para uma rotina consistente de preparação. O foco, nesse caso, é estabelecer o hábito de estudo com antecedência, sem depender dos fatores externos da autorização e do lançamento do edital. Quão mais cedo foi tomada a decisão convicta de determinar a rotina, fazer os ajustes e cumpri-la, melhor será o aproveitamento do tempo e menor será o estado angustiado de ver o tempo passar.

Solução: Evite estabelecer turnos longos de estudo sem que exista o hábito. Em nenhum lugar está determinado que os aprovados são aqueles que se dedicam exclusivamente e por incontáveis horas. Conheça seus limites, comece com a quantidade de tempo que irá garantir qualidade no aprendizado e consistência diária. Com a prática bem direcionada, aumentar a quantidade de tempo se torna mais fácil.

Dica três: Fuja de comparações

Acompanhar perfis de outros concurseiros nas redes sociais pode ter dois efeitos Estimula a superação com as postagens de cada dia vencido e gera uma comparação negativa com a própria preparação a de outras pessoas. Escolha a primeira opção e fuja da segunda. Só você sabe como está a sua vida e como conseguirá manter uma rotina sustentável, fator essencial para um projeto longo como o de ser aprovado para o cargo que deseja.

Também é importante ter um “filtro” contra o isolamento social ou metas exageradas. Negar-se é um caminho pronto e frutífero para aumentar emoções que sabotam a boa preparação como ansiedade, angústia e sentimento de culpa.

Solução: Conheça a sua realidade e tenha clareza de como o concurso de encaixa na sua vida. Pode ser que ele não seja a prioridade máxima e não há qualquer prejuízo verdadeiro nisso. É só uma crença. Direcione sua mentalidade e suas ações para fazer o melhor possível a cada dia, respeitando os demais papéis que exerce.

Dica quatro: Aprenda a aprender 

Infelizmente, durante a vida escolar, a autogestão do aprendizado e de avaliação não é valorizada. As regras são externas e impostas, o que deixa os concurseiros muito perdidos e frágeis quando se deparam com a necessidade de ter essas duas habilidades. É um desafio a ser superado. Ter clareza da maneira individual de absorver e reter os conteúdos pressupõem experiências e testes até encontrar um formato mais adequado que pode até ser diferente entre uma disciplina e outra. Superar o receio de acompanhar a evolução de acertos das questões, entendendo que é um processo, ou seja, que acontece aos poucos, também é necessário.

Solução: Observe como você entende e aprende melhor as matérias que se identifica. Como é feito o processo de aprendizagem e de conexão emocional positiva com essa tarefa? Questione-se também sobre como pode adaptar experiências anteriores com o momento presente. Também leve em consideração que conteúdos diferentes – por exemplo, raciocínio lógico e direito administrativo – têm formatos diferente e, por consequência, formas de retenção particulares. Também realize simulados com frequência para se acostumar com a autoavaliação, sempre fazendo uma análise crítica positiva sobre os resultados.

Últimas notícias