Em Cuiabá, moradores fazem fila para conseguir ossos de boi

Com esses restos de desossa do boi, ficam resquícios de carne, proteína principal na casa de cuiabanos que vivem em situação precária

atualizado 16/07/2021 22:40

Reprodução

Na periferia de Cuiabá, dezenas de pessoas se enfileiram em frente a um açougue, três vezes por semana, para conseguir pedaços de ossos doados pelo estabelecimento. A informação é do Uol.

Com esses restos de desossa do boi, ficam resquícios de carne, proteína principal na casa de cuiabanos que vivem em situação de vulnerabilidade financeira e social.

De acordo com funcionários do Atacadão da Carne, há mais de 10 anos o local faz essas ações. No entanto, segundo eles, a fila aumentou nos últimos tempos. Por dia, são quase 500 kg distribuídos. Pelos mesmos pedaços de ossos, outros açougues da região chegam a cobrar até R$ 10 reais por quilo.

À publicação, Maurício Munhoz, professor de economia da Universidade Federal de Mato Grosso, reforça que a fila escancara a contradição de um estado que é referência no agronegócio e na criação de gado.

“Mato Grosso tem o maior rebanho bovino do país, com cerca de 32 milhões de cabeças de gado. São aproximadamente dez cabeças de boi por habitante. Seria lógico que pelo menos o preço da carne fosse barato aqui, mas acontece o contrário”, explicou. Segundo ele, com as consequentes altas do dólar, os frigoríficos preferem exportar a carne a vender no mercado interno, visando o lucro.

Mais lidas
Últimas notícias