*
 

A assessoria do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou nota sobre o julgamento de denúncia contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF), marcado para 1º de Dezembro. Segundo o texto, o senador está “tranquilo e confiante na Justiça brasileira”.

“O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) pediu oficialmente essa investigação ao Ministério Público no ano de 2007 e é o maior interessado nesse julgamento”, diz a nota.

O plenário do Supremo decidirá se aceita a denúncia contra Calheiros, o que faria dele réu pela primeira vez. A acusação, formalizada em 2013, é de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso.

O texto também dá a entender que o processo em questão é contraditório. Na nota, a assessoria afirma que Renan responde “ao mesmo tempo por ter e não ter recursos para fazer face à despesa mencionada”. Segundo a nota, o senador responde em um inquérito por não ter os recursos e, em outro, por dispor de meios financeiros antes inexistentes.

Por fim, a nota esclarece ainda que, de acordo com a defesa do senador, o processo não trata de contas pessoais que teriam sido, supostamente, pagas por uma empresa. “Essa acusação, que perdurou por 10 anos, sequer consta da denúncia”, escreve.

 

 

COMENTE

Renan Calheirossupremo tribunal federal
comunicar erro à redação

Leia mais: Sem