Transmissão da Covid-19 por embalagens é “muito improvável”, diz EUA

A FDA, dos Estados Unidos, reforça que não há evidências de que o coronavírus seja transmitido por embalagens ou alimentos

atualizado 22/02/2021 11:51

Mulher no supermercado (1)Anna Shvets/Pexels

Pesquisadores nos Estados Unidos indicaram que é muito improvável a transmissão de coronavírus por alimentos ou por suas embalagens. O comunicado conjunto foi feito pela agência Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês) e pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) na quinta-feira (18/2). Essa é uma boa notícia diante da pandemia de coronavírus que já provocou quase 2,5 milhões de mortes no mundo.

“Os consumidores podem ter a tranquilidade de que continuamos a acreditar, com base em nosso entendimento das informações científicas confiáveis atualmente disponíveis e apoiados em um consenso científico internacional, que os alimentos consumidos e as suas embalagens têm mínima probabilidade de espalhar a Sars-CoV-2”, afirmou a FDA, em comunicado da comissária Janet Woodcock.

O texto lembra que a “Covid-19 é uma doença respiratória transmitida de pessoa para pessoa, diferentemente dos vírus transmitidos por alimentos ou gastrointestinais, como o norovírus e a hepatite A, que costumam deixar as pessoas doentes por meio de alimentos contaminados”.

Por isso, a FDA argumenta que “dado que o número de partículas de vírus que teoricamente poderiam ser captadas tocando uma superfície seria muito pequeno e a quantidade necessária para infecção por inalação oral seria muito alta, as chances de infecção ao tocar a superfície da embalagem de alimentos ou comer alimentos são consideradas extremamente baixas”.

Tanto a FDA quanto o USDA fizeram essa atualização baseada em um consenso científico internacional que garante que o risco de contaminação por alimentos ou suas embalagens é extremamente baixo. “Considerando os mais de 100 milhões de casos de Covid-19, não vimos evidências epidemiológicas de alimentos ou embalagens de alimentos como a fonte de transmissão da Sars-CoV-2 para humanos”, afirmou o comunicado.

0

 

Últimas notícias