Risco de doença cardíaca em mulheres cresceu na pandemia, diz médica

Especialista da Mayo Clinic explica mudanças no estilo de vida que podem ajudar a prevenir problemas cardiovasculares

atualizado 18/05/2022 19:48

Pessoa segurando um objeto em formato de coração com as mãos. A pessoa usa camiseta rosa -MetrópolesPeter Dazeley/ Getty Images

A pandemia de Covid-19 afetou as pessoas de várias maneiras. Para muitas mulheres, isso significou maiores desafios e menos tempo para cuidar de si mesmas. Esses são alguns dos motivos que podem explicar porque especialistas consideram que o risco de desenvolver doenças cardiovasculares aumentou no período.

Além disso, a sobreposição das funções de mães e profissionais trouxe não só estresse emocional, mas também físico. “O estresse por si só já aumenta o risco de doenças cardiovasculares e, por vezes, pode desencadear um ataque cardíaco”, afirma Mayra Guerrero, cardiologista da Mayo Clinic, dos Estados Unidos.

Também já foram relacionados ao período pandêmico piora nos hábitos de alimentação e crescimento do sedentarismo. “Uma dieta pobre ou a falta de exercícios também pode ser um fator de risco para doenças cardiovasculares”, afirma a médica.

A cardiologista explica ainda que não é possível controlar a idade ou a genética, mas é possível manejar o nível de colesterol, a pressão arterial e as escolhas de estilo de vida. “Inclua na sua rotina uma dieta balanceada, com mais frutas e vegetais, além de exercícios (idealmente todos os dias). Mas, se isso não for possível, pelo menos quatro vezes por semana. E uma recomendação muito importante: não fume”.

0

 

Mais lidas
Últimas notícias