Preparando a viagem de férias? Não esqueça de checar as vacinas

O viajante precisa conferir a carteira de vacinação para saber se está atualizada e se tem os certificados exigidos pelo local de destino

Kiattisak Lamchan / EyeEm, Getty ImagesKiattisak Lamchan / EyeEm, Getty Images

atualizado 04/07/2019 19:15

Quem vai viajar em julho deve estar atento à caderneta de vacinação. Tanto para garantir a entrada em países que exigem imunizações específicas como para resguardar a saúde e evitar contratempos em meio ao passeio.

Segundo o infectologista Alberto Chebabo, do Laboratório Exame, em Brasília, antes mesmo de arrumar as malas, é importante passar por uma avaliação clínica e checar as vacinas necessárias. Caso seja preciso tomar alguma dose, é necessário fazê-lo pelo menos duas semanas antes da viagem. “É o tempo ideal para que o corpo produza os anticorpos estimulados pela vacina”, explica Chebabo.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que o viajante, independentemente do destino, tome as vacinas para hepatites A e B, tétano e difteria, e tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, caso ainda não seja imunizado.

A tríplice viral, por exemplo, deve ser administrada em duas doses, entre os 20 e os 29 anos, para quem nunca foi imunizado. Ou em uma dose para quem tem entre 30 e 49 anos. “A viagem pode ser uma oportunidade para fazer a atualização e se resguardar”, destaca o médico. 

O viajante deve estar atento ao assunto mesmo que o destino seja dentro do país. Há doenças que são endêmicas em determinadas regiões e não existem em outras.

Reprodução Instagram

No caso de destinos internacionais, uma das principais exigências é a comprovação da vacina contra febre amarela, obrigatória para entrada em mais de 250 países – desses, 152 exigem o Certificado Internacional de Vacinação (CIVP). “É importante lembrar que, para uma viagem internacional, só é válida a vacinação com dose padrão. Quem recebeu a fracionada terá que esperar 30 dias para tomar a dose padrão para a emissão do certificado”,  alerta Chebabo.

Outra dica importante é que a aplicação da dose integral deve ser realizada com pelo menos 10 dias de antecedência em relação à viagem. Do contrário, não é aceita. Alguns laboratórios e clínicas particulares oferecem o Certificado Internacional logo após a aplicação da vacina. O CIVP também pode ser retirado no site da Anvisa.

Últimas notícias