Opas: apenas 3% de latino-americanos foram vacinados contra Covid-19

Lacuna “gritante” no acesso a vacinas deve ser preenchida ampliando a produção delas na América Latina e Caribe, defende entidade

atualizado 19/05/2021 20:35

Foto: Karina Zambrana/OPAS/OMS

A diretora-geral da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Carissa Etienne, demonstrou preocupação com o ritmo da vacinação em países latino-americanos durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (19/5). 

Ressaltando que apenas 3% das pessoas na América Latina e no Caribe foram totalmente vacinadas contra a Covid-19, Etienne afirmou que a escassez de vacinas é um “sintoma da dependência excessiva” da região das importações de suprimentos médicos essenciais. Segundo a agência internacional, menos de 4% dos produtos médicos em uso durante a resposta à Covid-19 vieram da região.

Para tentar contornar o acesso limitado aos imunizantes, Etienne pede que países que contam com a estrutura para fabricar vacinas contra a Covid-19 acelerem a sua produção. Brasil, Argentina, Cuba e México têm instalações de fabricação de vacinas estabelecidas, algumas das quais já estão sendo atualizadas para produzir as vacinas contra Covid-19.

“Expandir nossa capacidade regional para fabricar suprimentos médicos estratégicos – especialmente vacinas – é uma obrigação, tanto para nosso povo quanto por uma questão de segurança sanitária”, afirma. 

A diretora da OPAS lembrou ainda do grande número de vítimas da pandemia, observando que houve mais de 1,2 milhão de novos casos de Covid-19 nas Américas na semana passada e cerca de 31 mil mortes.

Recursos e apoio para fabricação 

A OPAS também está discutindo com parceiros regionais como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Organização dos Estados Americanos (OEA) e seus Estados membros como garantir que os países interessados em expandir a fabricação tenham recursos e apoio. Argentina, Chile e Peru estão entre os que já demonstraram interesse.

“Para que isso funcione, precisamos de escala, o compromisso de comprar produtos feitos regionalmente e a garantia de que os produtos fluirão livremente e sem proibições de exportação – mesmo durante emergências. Nosso Fundo Rotatório está pronto para ajudar a comprar e entregar esses produtos em toda a nossa região – como temos feito nos últimos 40 anos”, ressalta Etienne.

Mais lidas
Últimas notícias