OMS: “O que é mais importante: crianças na escola ou bares abertos?”

Diretor de emergências da entidade diz que é preciso compromisso do governo e da sociedade contra a Covid-19

atualizado 15/09/2020 16:31

Mike Ryan na OMSOMS/Reprodução

Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (15/9), o diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, levantou o questionamento: “O que é mais importante: crianças na escola ou bares e boates abertos?”.

Segundo ele, há dois pilares que precisam ser prioridade na luta contra a Covid-19: a proteção dos vulneráveis e a educação das crianças. Para conseguir as duas coisas, é preciso continuar pressionando o vírus para diminuir a transmissão comunitária. Assim, as escolas seriam locais de contágio menos perigosos – o diretor já alertou que os centros de ensino são um reflexo da comunidade na qual estão inseridos.

Para diminuir a transmissão na sociedade, permitir a volta das escolas e proteger os idosos e vulneráveis, é preciso que os adultos mantenham o distanciamento social e sigam as medidas de segurança. Nesse contexto, Ryan questiona se ir ao bar é mais importante, já que são locais de alta chance de contágio.

“São decisões que precisamos tomar e não há respostas fáceis. Se vamos manter as crianças na escola e os vulneráveis protegidos, é preciso fazer teste, isolar pessoas com sintomas e que tiveram contato com casos confirmados, investir em vigilância epidemiológica, investigar clusters e ter resultados rápidos de exames. Desculpe ser chato e me repetir várias vezes, mas não há alternativa. Não é fácil manter essa rotina, e todos estão exaustos, mas temos que servir aos idosos e às crianças. Precisamos do compromisso do governo e da participação da sociedade. Não existe solução mágica e precisamos parar de procurar unicórnios”, disse.

0

 

Últimas notícias