Fuja de intoxicações alimentares! Veja alimentos que podem causá-las

A infecção por microorganismos é muito comum e pode durar até 10 dias. Os sintomas são náuseas, vômitos, desconforto abdominal e febre

Cristiano Sérgio/FOTOFORUMCristiano Sérgio/FOTOFORUM

atualizado 16/05/2019 16:41

Quem já teve uma intoxicação alimentar, lembra claramente do que comeu no dia em que passou mal e o que pode ter sido o causador. A infecção no organismo pode durar de um até 10 dias, causando sintomas como diarreia, náusea, vômitos, dor de cabeça, febre e desidratação. Alguns alimentos, no entanto, estão mais propensos do que outros à contaminação por microorganismos. Por isso, fique atento ao que você come e como são as preparações.

Cuidados básicos de higiene das mãos, assim como na manipulação dos alimentos, são essenciais. Confira algumas armadilhas alimentares.

Legumes ou frutas pré-cortados ou pré lavados
Apesar de práticos, alimentos que já foram embalados e pré-lavados devem ser evitados. Quanto mais processada e manipulada for a comida, maior a chance de contaminação. Exemplos são as alfaces já lavadas e embaladas no mercado. São comuns ainda infecções provenientes de brotos de feijão, alfafa, trevo e rabanete crus vendidos em embalagens.

Carnes mal passadas
As carnes, assim como frango e ovo, precisam estar bem cozidas para evitar contaminação. Outro ponto é evitar comer a proteína em lugares que você desconhece qual é a origem. Recentemente, nos EUA, uma intoxicação da bactéria E.coli associado à carne moída se disseminou por 10 Estados, de acordo com informações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do país. Ao todo, 156 pessoas adoeceram, sendo considerado o terceiro maior surto interestadual em 20 anos.

Frutos do mar, especialmente ostras
O consumo de peixes e frutos do mar crus ou mal armazenados pode causar infecções intestinais graves. Por isso, evite consumir comida japonesa em locais desconhecidos e com má higiene, ostras vendidas na praia sem estarem refrigeradas ou peixes velhos, com cheiro forte e aspecto mole ou gelatinoso.

Um tipo específico de bactéria, os vibriões, provocam alguns dos quadros mais sérios de intoxicações gastrointestinais. Há ainda uma cepa específica da bactéria – a Vibrio vulnificus – que provoca a morte de uma em cada quatro pessoas infectadas.

Tipos de queijos
Os queijos moles, como queijo brie, coalho e camembert são ricos em água, o que facilita a proliferação de bactérias. Para evitar intoxicações, deve-se optar por queijos mais duros ou queijos industrializados cuja segurança na fabricação é maior. Evite ainda o consumo de queijos fora de refrigeração que normalmente são vendidos em feiras e nas praias.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias