Obesidade e má alimentação podem causar puberdade precoce

Especialistas acreditam que passagem da infância para adolescência está sendo antecipada por fatores relacionados aos hábitos alimentares

energyy/GettyImagesenergyy/GettyImages

atualizado 05/08/2019 10:26

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, há indícios de que o processo de amadurecimento do corpo antes da idade adequada (oito anos, em meninas, e nove, em meninos), quadro conhecido como puberdade precoce, está cada vez mais frequente.

Não há consenso sobre as causas que estão antecipando a produção de hormônios, mas a maioria dos especialistas acredita que a razão está no prato. A abundância de comida e a baixa qualidade dela, junto ao aumento da obesidade infantil, podem estar relacionados a sintomas como crescimento dos testículos, nascimento do broto mamário e aparecimento de pelos pubianos.

“As meninas são as mais afetadas e, na maioria dos casos, não conseguimos identificar as causas. Porém, algumas têm histórico familiar, tumores no cérebro ou genes relacionados à puberdade precoce”, explica a endocrinologista infantil Mila Pontes Ramos Cunha.

Ela conta que, além de a criança enfrentar dificuldades para se adequar socialmente (com sinais de puberdade, ela costuma ficar envergonhada, não querer ir à escola ou fazer amizades), a baixa estatura é a maior consequência da puberdade precoce. “Os ossos possuem, na ponta, a epifise óssea, onde acontece o crescimento. Na puberdade precoce, se cresce muito de uma vez, o paciente fica maior que as outras crianças da sua idade, mas essas áreas logo se fecham e a pessoa para de crescer”, conta a médica.

Mila diz que é possível tratar a condição com uma medicação que atua no hipotálamo inibindo os estímulos hormonais, mas é preciso pegar o desenvolvimento no início. “Ou se começa a cuidar no começo, ou corremos o risco de perder o timing. Para isso, é preciso levar a criança ao pediatra anualmente, e os responsáveis precisam prestar atenção nas mudanças no corpo dos filhos. É um processo rápido”, afirma.

Últimas notícias