metropoles.com

Dieta rica em açúcar e gordura “vicia” cérebro para querer mais doces

Pesquisa mostra que mesmo em pequenas porções, alimentos altamente calóricos ativam sistema de recompensa do cérebro

atualizado

Compartilhar notícia

Elizabeth Perez Holowaty/Getty Images
Doces industrializados
1 de 1 Doces industrializados - Foto: Elizabeth Perez Holowaty/Getty Images

Comer açúcar ou gordura em excesso altera os circuitos da recompensa no cérebro e cria uma preferência por esses sabores, segundo um estudo inédito feito na Universidade Yale, nos Estados Unidos, e no Max Planck Institute for Metabolism Research, na Alemanha.

Ao longo de oito semanas, os autores acompanharam dois grupos de voluntários, todos saudáveis e com peso ideal. Eles seguiram com sua dieta normal, mas um grupo ingeriu também iogurtes ricos em açúcar e gordura duas vezes por dia enquanto o outro grupo consumiu apenas iogurtes magros. Ao fim do período, a turma que comeu as versões mais calóricas não conseguiu apreciar alimentos com menor teor de açúcar e gordura.

Depois, os pesquisadores fizeram outro teste: todos os voluntários passaram por exames de ressonância magnética enquanto bebiam milkshakes. No grupo que tinha bebido os iogurtes mais calóricos, o exame mostrou atividade cerebral ativando o sistema de dopamina, que dá a sensação de recompensa.

Consequências

Segundo os autores, o estudo mostra como a comida pode mudar nosso comportamento em pouco tempo, mesmo sem ganho de peso ou impactos imediatos na saúde. E isso pode aumentar o risco de comer em excesso, levando à obesidade com todas as suas consequências.

“O ser humano tem essa preferência por esses alimentos por uma questão evolutiva, da época em que precisava estocar gordura e energia”, explica a nutricionista Paula Victória Félix, doutoranda pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). “O problema é que hoje não precisamos tanta quantidade deles e estamos cada vez mais expostos, o que acaba levando a comer em excesso.”

A boa notícia é que é possível reeducar o paladar, habituando-se a ingerir porções cada vez menores desses ingredientes e optando por uma alimentação mais saudável. “Nas crianças é ainda mais fácil: se ela nunca foi exposta, vai precisar de menos açúcar para se satisfazer. Nosso paladar é moldável”, diz a nutricionista. Por isso, a recomendação é que as crianças não tenham contato com doces antes dos dois anos de idade. (Fonte Agência Einstein) 

0

 

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSaúde

Você quer ficar por dentro das notícias de saúde mais importantes e receber notificações em tempo real?