Emissão de certificado internacional de vacinação passa a ser digital

Solicitação, acompanhamento e recebimento do documento agora têm trâmite digital, o que representará uma economia de R$ 120 mi para o Estado

Irina_Strelnikova/istock

atualizado 29/01/2019 17:30

A partir de agora ficou mais fácil obter o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). A solicitação, o acompanhamento e o recebimento do certificado passam a ter trâmites totalmente digitais, o que reduzirá o prazo de entrega para cinco dias úteis. A novidade foi anunciada nesta terça-feira (29/01) pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a comemoração dos 20 anos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A digitalização foi possível a partir de uma parceria entre a Anvisa e a Secretaria de Governo Digital (SGD), do Ministério da Economia, que estimam uma redução de custos de cerca de R$ 120 milhões/ano para o Estado e para o cidadão.

O Brasil é o primeiro país a ofertar a emissão on-line do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia de forma gratuita e descentralizada. O documento, que comprova a situação vacinal de cada cidadão, é exigido por mais de 100 países atualmente, em especial pela vacinação contra a febre amarela. Anualmente, são realizadas cerca de 730 mil solicitações do certificado que, até então, só era emitido com a presença física do interessado em pontos de emissão.

A partir de agora, o cidadão pode imprimir o cartão de qualquer lugar do mundo e assinar no local indicado, sem necessidade de se descolar a um ponto de atendimento da Anvisa. O serviço já está disponível no portal https://www.servicos.gov.br/.

Com informações da Agência Saúde.

Últimas notícias