Autoexame garante diagnóstico precoce de câncer de testículo

A presença de nódulos ou o aumento das glândulas masculinas podem indicar problemas. O diagnóstico precoce amplia as chances de cura

Korrawin, IstockKorrawin, Istock

atualizado 11/04/2019 22:52

Os testículos se localizam dentro da bolsa escrotal e são responsáveis pela produção dos espermatozoides e da testosterona, o hormônio sexual masculino. O câncer de testículo corresponde a 5% do total de casos de câncer em homens, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Apesar de raro, ele é o tipo que mais acomete os homens em idade sexualmente ativa, dos 15 aos 50 anos.

O principal sintoma da doença é o surgimento de um nódulo endurecido ou um aumento no tamanho do testículo que, geralmente, não é acompanhado de dor. O câncer no testículo é mais comum em pessoas que têm histórico familiar da enfermidade, que apresentam lesões e traumas na bolsa escrotal, que foram expostas a agrotóxicos ou em casos de criptorquidia (quando a criança apresenta um testículo que não desceu para a bolsa testicular). 

Para diagnosticar a doença, é preciso fazer exames físicos e complementares, como ultrassonografias e testes laboratoriais. O tratamento quase sempre inclui cirurgia para remoção do testículo doente e, em seguida, quimioterapia e/ou radioterapia, principalmente nos casos em que o câncer se espalhou para outras partes do corpo.

A chance de cura depende muito do estágio do câncer e de como o corpo reage ao tratamento. Pacientes que retiram o testículo, normalmente, colocam uma prótese de silicone no local para manter a aparência normal da bolsa testicular. Rafael Buta, médico urologista da Aliança Instituto de Oncologia, destaca a importância do autoexame para o diagnóstico precoce da doença.

Confira o passo a passo para realizar o autoexame:

– Observe a pele da bolsa testicular e veja se há alguma alteração na sua aparência;

– Segure um testículo de cada vez, utilizando os dedos de ambas às mãos, e deslize os dedos pela superfície do testículo (ela deve ser lisa). Na parte de cima e atrás do testículo, é possível sentir outra estrutura, o epidídimo (semelhante a um cordão). É normal que um testículo seja ligeiramente maior que o outro;

– Caso perceba durante o autoexame algum nódulo, região endurecida ou dolorosa, crescimento anormal do testículo ou alteração no seu formato, procure um urologista para uma avaliação mais detalhada.

Últimas notícias