metropoles.com

Tarcísio desapropria área na Barra do Sahy para erguer casa popular

Governador de SP assinou decreto para desapropriar área privada, na Barra do Sahy, e construir casas a desabrigados após tragédia no litoral

atualizado

Compartilhar notícia

Fábio Vieira/Metrópoles
Governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), visita a tragédia da Barra do Sahy em São Sebastião, litoral norte de São Paulo 2
1 de 1 Governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), visita a tragédia da Barra do Sahy em São Sebastião, litoral norte de São Paulo 2 - Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) assinou decreto para desapropriar área de 10,6 mil m² na Barra do Sahy, na costa sul de São Sebastião, com objetivo de construir moradias para famílias que ficaram desabrigadas após o temporal que castigou o litoral norte paulista no Carnaval.

Nesta sexta-feira (24/2), o número de mortos na tragédia subiu para 57, segundo boletim divulgado pelo governo paulista. Mais de 4 mil pessoas estão sem moradia neste momento.

De acordo com governo, a medida que declara o terreno particular de utilidade pública será publicada na edição de sábado (25/2) do Diário Oficial do estado.

Com isso, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) estará autorizada a fazer a desapropriação da área e implantar programa habitacional para famílias de baixa renda. As unidades serão destinadas a moradores de áreas de risco e famílias que perderam suas casas no temporal.

“Já tenho a autorização do proprietário para entrar e trabalhar de imediato. É uma área plana, uma área segura onde a CDHU vai construir residências para começar tirar pessoas de área de risco e dar moradia para quem perdeu”, afirmou Tarcísio.

De acordo com o governador, casas populares também serão construídas em terrenos cedidos pela prefeitura de São de Sebastião nas regiões de Topolândia e Maresias.

5 imagens
1 de 5

Fábio Vieira/Metrópoles
2 de 5

Fábio Vieira/Metrópoles
3 de 5

Fábio Vieira/Metrópoles
4 de 5

Fábio Vieira/Metrópoles
5 de 5

Fábio Vieira/Metrópoles

 

Mais de 4 mil pessoas sem casa

O boletim mais recente, divulgado na noite desta sexta-feira (24/2), informa que a tragédia deixou mais de 4 mil pessoas sem moradia. São 2.251 desalojados e 1.815 desabrigados.

Nesta sexta, o governador de São Paulo também afirmou que estuda pagar hospedagem em hotéis para a população afetada, durante o período de construção de casas populares.

10 imagens
O governo de São Paulo começou a hospedar pessoas desalojadas na rede hoteleira
Apesar disso, Poder Executivo reconhece que medida tem eficácia temporária
População atingida aguarda pela chegada de doações nos abrigos montados em regiões próximas
1 de 10

Região atingida por temporal recebe doação de alimentos e itens para doação a famílias desabrigadas

Fábio Vieira/Metrópoles
2 de 10

O governo de São Paulo começou a hospedar pessoas desalojadas na rede hoteleira

Fábio Vieira/Metrópoles
3 de 10

Fábio Vieira/Metrópoles
4 de 10

Fábio Vieira/Metrópoles
5 de 10

Apesar disso, Poder Executivo reconhece que medida tem eficácia temporária

Fábio Vieira/Metrópoles
6 de 10

População atingida aguarda pela chegada de doações nos abrigos montados em regiões próximas

Fábio Vieira/Metrópoles
7 de 10

Fábio Vieira/Metrópoles
8 de 10

Fábio Vieira/Metrópoles
9 de 10

Tragédia deixou vítimas soterradas e sem lar

10 de 10

Defesa Civil emitiu alerta de fortes chuvas para o litoral e o interior paulistas até segunda-feira (27/2)

Fábio Vieira/Metrópoles

 

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?