SP vai contratar 15 mil professores e congelar ensino integral em 2023

Tarcísio de Freitas confirma realização de concurso para contratar professores, mas diz que não ampliará oferta de ensino integral neste ano

atualizado 05/02/2023 10:25

Tarcísio e Feder Governo do Estado de São Paulo

São Paulo – O governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) disse nesta sexta-feira (3/2), dia da volta às aulas nas escolas estaduais, que vai contratar 15 mil professores para a rede ainda neste semestre. Ele afirmou, contudo, que não fará neste ano a ampliação das escolas de ensino de tempo integral – uma de suas promessas de campanha.

O congelamento de novas vagas de ensino integral, segundo o governador, se dará para que o governo melhore a estrutura das unidades já criadas. Esse modelo, considerado essencial por educadores, sofreu expressiva ampliação no ano passado e, agora, enfrenta algumas dificuldades, como uma escola que foi interditada por falta de segurança.

“Nesse primeiro momento, não vai aumentar (a oferta de vagas). Antes de você pensar em criar mais escolas de tempo integral, você tem que reforçar as que a gente já tem”, disse Tarcísio.

“De 5.300 escolas que o Estado tem, você tem mais de 2.300 mil que já são de ensino integral. Não adianta você continuar ampliando a rede sem reforçar, qualificar, estruturar essas que já estão no tempo integral”, afirmou Tarcísio.

As informações foram repassadas durante a visita do governador e o secretário a uma escola do bairro Chora Menino, em Santana, zona norte da capital. A escola colocou tapete vermelho para os alunos e a comitiva do governador e teve apresentação de coral antes o início das atividades escolares.

Mais professores

O concurso para as 15 mil vagas anunciado por Tarcísio, ao lado do secretário da Educação, Renato Feder, havia sido autorizado pelo governo do Estado ainda em setembro do ano passado, na gestão Rodrigo Garcia (PSDB).

A expectativa é que os novos contratados assumam aulas hoje dadas por professores temporários, o que não deve trazer reduções significativas no número de alunos por sala.

Feder disse ainda que os alunos devem começar a  ter aulas de redação com inteligência artificial a partir do segundo semestre, além de aulas de matemática e inglês “gameficadas” (ensinadas por meio de jogos).

Essas iniciativas serão possíveis graças a uma grande aquisição de computadores feita pela gestão passada, que incluiu contratos com a Multilaser – empresa da qual o secretário da Educação detém ações por meio de uma offshore.

 

Mais lidas
Últimas notícias