metropoles.com

Secretário do clima de SP diz que planeta “se salva sozinho” e causa revolta

Secretário Pinheiro Pedro atribui aquecimento global a fatores de origem “geológica”e “cósmica” e é chamado de negacionista

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação/Prefeitura de SP
Antonio Fernando Pinheiro Pedro, secretário executivo de Mudanças Climáticas de SP
1 de 1 Antonio Fernando Pinheiro Pedro, secretário executivo de Mudanças Climáticas de SP - Foto: Divulgação/Prefeitura de SP

São Paulo — O secretário executivo de Mudanças Climáticas da cidade de São Paulo, Antônio Fernando Pinheiro Pedro (foto em destaque), causou polêmica ao dizer que o planeta “se salva sozinho” do aquecimento global, minimizar o papel do ser humano no combate ao problema e dizer que as razões para o aumento da temperatura na Terra tem fatores “de ordem geológica”, “cósmica” e “solar”.

O secretário da gestão do prefeito Ricardo Nunes (MDB) havia sido convidado para falar durante o lançamento do Fórum Permanente de Mudanças Climáticas e Desastres Ambientais da seção paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP). A explanação dele foi interrompida e terminou em bate boca (veja vídeo abaixo).

Pinheiro Pedro disse ainda que “quando o planeta se salva, geralmente ele se livra do que está na superfície”.

As falas do secretário foram classificadas como “negacionistas”, feitas “com base em achismo” e “um rosário de besteiras” pela procuradora federal Georgia Sena Martins, doutora em geociências pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), também presente no evento.

Embora o evento tenha ocorrido no começo de junho, apenas nos últimos dias um vídeo com trechos da fala de Pinheiro Pedro e a reação da procuradora começou a circular em grupos de WhatsApp.

Veja vídeo com três trechos da fala do secretário e a reação da procuradora.

 

O consenso da comunidade científica, reunida no Painel Intergovernamental da ONU sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês), é que o aquecimento global é um fenômeno causado pelo acúmulo de dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa na atmosfera, que ocorre na queima de combustíveis fósseis, desmatamento e agricultura intensiva, entre outras atividades do ser humano.

Posicionamento ‘fascista’

O Metrópoles questionou a Prefeitura se o prefeito Ricardo Nunes concordava com as causas apontadas por seu secretário para o aquecimento global. O próprio Pinheiro Pedro procurou a reportagem, minutos depois, para se manifestar.

Na conversa, Pinheiro Pedro disse que “o posicionamento da procuradora foi, no mínimo, fascista” e que não mudaria “uma vírgula” das declarações que fez no evento.

Ele disse refutar a palavra “negacionista” e afirmou que Leonardo da Vinci foi chamado desta maneira ao questionar valores de sua época, mas negou que estivesse se comparando ao inventor e pintor italiano.

“Você não pode reduzir o processo geológico e geocósmico (sic) ao calendário Juliano”, afirma o secretário, ao explicar os motivos do atual processo de aquecimento global.

Ao ser questionado sobre o que embasava seu posicionamento sobre o assunto, o secretário disse que havia um artigo, escrito por ele mesmo, que explicava a questão. Pinheiro Pedro encaminhou o texto por WhatsApp.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?

Notificações