Em 4 anos, aplicativo SOS Mulher tem mais de 34 mil cadastradas em SP

Desde a implementação do SOS Mulher, a ferramenta de denúncia de violência doméstica deu origem a 3.572 atendimentos e 140 prisões

atualizado 22/03/2023 10:28

Imagem colorida: mulher mexe no celular - Metrópoles Getty Images

São Paulo – O aplicativo SOS Mulher, do Governo do Estado de São Paulo, completa quatro anos nesta quarta-feira (22/3). Mais de 34 mil mulheres estão cadastradas no sistema, que permite que vítimas de violência doméstica com medida protetiva peçam ajuda apertando apenas um botão no celular.

O serviço prioriza o atendimento e agiliza o deslocamento das equipes da Polícia Militar até o local da ocorrência.

Para usar o aplicativo, basta que as usuárias baixem a ferramenta nas lojas virtuais Google Play e App Store. Depois, é necessário realizar um cadastro com os dados pessoais para que as informações possam ser checadas junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), desde a sua criação, o aplicativo SOS Mulher permitiu que 295 autores de violência fossem conduzidos à delegacia, e 140 presos. Neste período, foram realizados 3.572 atendimentos com despachos de viaturas.

Para a chefe da Divisão de Informações Institucionais do Centro de Comunicação Social da PM, major Ana Paula Petter Salles, a principal vantagem do SOS Mulher é a agilidade.

“A própria ocorrência do aplicativo é gerada rapidamente. Então, a agilidade é que facilita esse apoio à vítima na hora que ela aciona o SOS Mulher”, afirma Ana Paula em nota da SSP.

Mais lidas
Últimas notícias