metropoles.com

Aluna da USP que desviou dinheiro da formatura vira ré por estelionato

Aluna da USP, Alicia Dudy Muller é acusada de desviar quase R$ 1 milhão da comissão de formatura de sua turma na Faculdade de Medicina

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação/USP
Imagem de jovem que aplicou golpe em formatura da USP
1 de 1 Imagem de jovem que aplicou golpe em formatura da USP - Foto: Divulgação/USP

São Paulo –  A Justiça de São Paulo aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público e tornou a estudante Alicia Dudy Muller, de 25 anos, ré por estelionato. A jovem é acusada de ter desviado R$ 927.765 do fundo de formatura de sua turma da Faculdade de Medicina da USP.

De acordo com o MP, os desvios foram feitos entre os dias 25 de novembro e 20 de dezembro de 2022. A aluna foi denunciada por oito crimes consumados de estelionato, além de uma tentativa frustrada.

O processo corre em segredo de justiça. Ao Metrópoles, o Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou que a denúncia foi recebida na terça-feira (28/3).

Alicia era a presidente da comissão de formatura quando realizou os desvios. De acordo com o inquérito da Polícia Civil, ao fazer os saques, ela não respeitou o estatuto da associação formada pela comissão, que previa que qualquer movimentação no dinheiro deveria receber o aval do tesoureiro do grupo, o que não ocorreu.

A arrecadação do dinheiro ficava a cargo de uma empresa contratada pela comissão. Os saques foram feitos sem o conhecimento dos outros alunos, segundo a investigação. A denúncia afirma que Alicia solicitava as transferências diretamente à empresa, alegando que agia em nome da comissão.

As movimentações, de diferentes valores, foram feitas em oito oportunidades. Alicia ainda teria tentado um nono saque, de R$ 21 mil, mas a empresa não liberou a quantia após ter tomado ciência da fraude.

Anteriormente, a Polícia Civil havia indiciado Alicia por apropriação indébita, mas a promotoria entendeu que os indícios eram de estelionato.

Diante disso, o inquérito retornou à polícia, que colheu as representações criminais. De acordo com a investigação, Alicia obteve vantagens ilícitas ao sacar o dinheiro e utilizá-lo para benefício próprio. A polícia ainda apontou que, com a quantia, ela teria alugado um carro e um apartamento, além de ter feito diversos jogos de loteria.

As apostas estão sendo investigadas em outro inquérito, que apura possível crime de lavagem de dinheiro.

O Metrópoles procurou a defesa e aguarda a manifestação.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?

Notificações