25 coisas que você não sabia a respeito do Mercadão, que faz 90 anos

O Mercadão paulistano completa 90 anos no dia 25 de janeiro, mesmo dia dos 469 anos de São Paulo. Confira 25 coisas sobre o histórico local

atualizado 25/01/2023 9:37

Fachada iluminada no Mercadão de SP Divulgação / Mercadão

Que o sanduíche de mortadela e o pastel de bacalhau são as duas receitas mais famosas vendidas no Mercado Municipal Paulistano, o popular Mercadão, você já sabe. Que o Mercadão completa seu 90º aniversário neste 25 de janeiro, dia em que a cidade de São Paulo faz 469 anos, você talvez já saiba também. Mas entre fatos históricos, curiosidades, problemas e novidades, há uma série de coisas que você não sabia (ou talvez não saiba) a respeito do Mercadão. Confira:

1. Inaugurado a 25 de janeiro de 1933, o Mercado Municipal Paulistano foi projetado em 1926 pelo escritório do arquiteto Francisco Ramos de Azevedo, o mesmo que foi responsável por outras construções marcantes da cidade, entre as quais o Theatro Municipal, o Palácio das Indústrias e o Edifício dos Correios.

2. Uma das belezas do prédio do Mercadão é a série de 72 vitrais executados pelo artista russo Conrado Sorgenicht Filho.

3. O terreno do Mercadão possui uma área de total de 22.147m², dos quais 18.601 m² são de área construída.

Vista aérea do Mercadão de São Paulo, que completa 90 anos em 2023
Mercado Municipal Paulistano, o Mercadão: 22.000 metros quadrados de terreno

4. São 290 boxes instalados no Mercadão – entre açougues, peixarias, bancas de frutas e legumes, bares, restaurantes e empórios –, que dispõe também de área de eventos, área de reciclagem, espaço gourmet (disponível para locação), área administrativa, mezanino e estacionamento.

5. Desde 2021, a gestão do Mercadão foi concedida pela Prefeitura ao consórcio Mercado SP SPE S.A., que venceu a licitação realizada em 2020. Pelo direito de administrar o espaço durante 25 anos, o consórcio pagou uma outorga fixa de R$ 112 milhões ao município de São Paulo, com um ágio de 266% em relação ao valor mínimo constante no digital, que era de R$ 30,5 milhões.

6. Além da outorga fixa, durante o período do contrato a concessionária fará pagamentos anuais de uma outorga variável, cujo valor será calculado a partir de uma alíquota entre 5% e 10% sobre a receita bruta.

7. Uma das obrigações da concessionária é efetuar o restauro das instalações, cujas obras se iniciaram em 8 de setembro de 2022. Com investimento mínimo de R$ 83 milhões, essa fase prevê a adequação às normas atuais de acessibilidade, à ampliação e à construção de sanitários, elevadores e mais escadas rolantes, entre outros itens.

Telhado restaurado do Mercadão de SP
Antes e depois: a restauração do novo telhado do Mercadão busca voltar às características originais

8. Quem passa pela Rua da Cantareira nota que o restauro da fachada está a todo vapor. Na atual fase, as janelas estão passando por um processo de decapagem, já que as esquadrias de madeira passaram por 12 camadas aleatórias de tinta ao longo dos anos. “O nosso objetivo é chegar à madeira original”, diz Aldo Bonametti, presidente do conselho de administração da Mercado SP SPE S.A. As paredes externas, por sua vez, estão sendo pintadas de bege claro, cor também original.

9. Construído em 2004 na gestão da prefeita Marta Suplicy, o mezanino é um marco na história do Mercadão. Ao abrigar oito restaurantes, ajudou a consolidar o entreposto como um pólo gastronômico e turístico da cidade. Tem, atualmente, 1.000 m² e fica suspenso a 4,8 metros do chão.

10. Também prevista em contrato, a ampliação do mezanino prevê o alargamento de sua área bem como a extensão para duas laterais, em formato de “U”, para ganhar mais restaurantes. “Nossa expectativa é entregar essa etapa até novembro de 2023”, conta Aldo Bonametti.

11. Um dos pontos sensíveis do Mercado Municipal, o estacionamento foi terceirizado pela concessionária. Até o ano passado, funcionava sob o sistema de Zona Azul mas hoje exige-se a cobrança de R$ 25,00. Na rua, segue o sistema de Zona Azul e o vale-tudo por parte dos flanelinhas, que cobram preços abusivo por uma vaga. A administração do Mercadão nada pode fazer para coibir a prática, que ocorre na via pública.

12. Atualmente com capacidade para 146 carros, o estacionamento pode ganhar mais algumas centenas de vagas. Isto porque o contrato de concessão permite que se construa uma garagem subterrânea no local, sob “conta e risco” da concessionária, segundo o documento.

13. Numa prática antiga, assim como vemos nas feiras-livres, os vendedores das vistosas bancas de hortifrútis ainda hoje oferecem, “sem compromisso”, fatias ou pedaços de frutas exóticas aos visitantes, como forma de convencê-los a comprá-las. Um ano atrás, essa conduta deu o que falar, no caso conhecido como “golpe das frutas”, no qual os vendedores coagiam os turistas a pagar preços abusivos pela degustação, que deveria ser uma cortesia. A Mercado SP SPE S.A., concessionária do mercado, chegou a penalizar com multas dez boxes e interditou ao menos três deles.

14. A cláusula 15ª do contrato de concessão do Mercado Municipal permite que a Mercado SP SPE S.A. negocie naming rights do espaço, assim como já acontece, por exemplo, com o Mercado da Ribeira, em Lisboa.

15. Patos, marrecos, galinhas, coelhos, passarinhos e pombos, entre outros animais vivos, eram vendidos no Mercado Municipal até meados dos anos 1980.

16. Quantas fatias cabem num sanduíche de mortadela do Mercadão? Criado no Bar do Mané, em atividade desde a inauguração do mercado, em 1933, o famoso lanche é vendido em diversos bares e restaurantes ali. Localizado no mezanino desde 2004, por exemplo, o bar Mortadela Brasil recheia o brazuca, o sanduíche mais vendido, com 12 a 15 fatias do embutido, mais bacon, queijo cheddar e alface americana. Com 300 gramas, o lanche custa R$ 53,50.

Sanduíche brazuca, do bar Mortadela Brasil, do Mercadão de SP
Brazuca, do bar Mortadela Brasil: 12 a 15 fatias de mortadela

17. O valor total do contrato de concessão de 25 anos para restauro, reforma, operação, manutenção e exploração do Mercado Municipal Paulistano e do Kinjo Yamato, mercado que fica do outro lado da Rua da Cantareira, é de R$ 371.820.000,00.

18. Com horário de funcionamento das 6h às 18h, de segunda a sábado, e das 6h às 16h, no domingo, o Mercadão terá funcionamento 24 horas. “A mudança de horário está prevista no edital de concessão”, diz Aldo Bonametti, presidente do conselho de administração da concessionária Mercado SP SPE S.A.

19. Atualmente, cada ponto comercial instalado no Mercadão – boxe, empório, restaurante, bar, loja etc. – paga o valor de R$ 130,00 por metro quadrado à concessionária, pelo rateio de despesas com limpeza, segurança e manutenção do espaço, entre outros serviços.

20. Com a chegada da concessionária Mercado SP SPE S.A., os restaurantes e bares do térreo passaram a pagar uma taxa pelo uso do espaço das mesas e cadeiras instaladas nos corredores, que só podem ser montadas dentro da área delimitada no piso.

21. De acordo com o contrato de concessão, a Mercado SP SPE S.A. deve prestar contas sistematicamente à Prefeitura, ao longo dos 25 anos em que estará à frente do Mercadão, por meio de um “Sistema de Mensuração de Desempenho”. Além de cumprir os pontos previstos, a empresa estará sujeita à avaliação dos usuários, por meio do Índice de Satisfação (IS), que mede a percepção do público a respeito da qualidade da infraestrutura e dos serviços prestados.

22. Por pouco, o Mercado Municipal não foi demolido, em meados nos anos 1960, por causa da inauguração do Ceasa (Centro de Abastecimento de São Paulo), atual Ceagesp, na Zona Oeste de São Paulo. Graças ao esforço dos comerciantes locais, o espaço foi preservado, por meio do tombamento da construção no Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat).

23. A concessão por parte da Mercado SP SPE S.A. começou a valer em 8 de setembro de 2021 e tem duração de 25 anos.

24. Entre as comemorações do 90º aniversário do Mercadão, neste 25 de janeiro de 2023 o espaço vai sediar o lançamento de um livro alusivo à data e haverá o tradicional corte do bolo de aniversário da cidade.

25. Ao longo do período de concessão, a Mercado SP SPE S.A. quer manter as características atuais do Mercadão, que combinam o posto de abastecimento de insumos para bares e restaurantes da cidade – graças aos açougues e peixarias, principalmente – e o de pólo gastronômico da cidade. “Queremos ser o maior e melhor mercado do mundo na oferta de produtos, serviços e eventos de gastronomia”, diz Aldo Bonametti, presidente do conselho de administração da concessionária Mercado SP SPE S.A.

Serviço:
Mercado Municipal Paulistano (Mercadão). Rua da Cantareira, 306, centro, tel. 4580-1390. http://mercadao.mercadospspe.com.br/. Seg. a sáb.: 6h/18h; dom.: 6h/16h.

 

 

Mais lidas
Últimas notícias