*

Leo Renato

FreePik.com
FreePik.com

Internet das Coisas torna o nosso dia a dia cada vez mais conectado

Leo Renato
 

Expandir a conexão à internet além das TVs e dos celulares é o que propõe a internet das coisas (ou, em inglês, Internet of Things — IoT — ). Acredito que a tecnologia ainda tem muito a nos ajudar, e a Internet das Coisas está nesse processo, principalmente em relação ao nosso tempo.

Com os dispositivos conectados à internet, podemos resolver problemas sem, por exemplo, estar ao  lado dos aparelhos.

Na ideia de cidades inteligentes, podemos ter latas de lixo que avisam quando estão cheias, ajudando o governo a demandar energia naquelas que realmente precisam ser limpas. Ou na área da saúde, quando pessoas que usam marca-passo podem estar conectadas a um aparelho que envia informações para o hospital. Tendo algum problema, o aparelho avisa e a equipe médica fica alerta.

Tudo isso faz com que as demandas sejam otimizadas.

É possível também analisar dados em tempo real, fazendo com que muitos processos sejam
mais ágeis e eficientes. E o melhor disso é que transformamos dados em informação útil, para ajudar as pessoas.

A Internet das Coisas também pode ajudar em construções. Quando construir uma ponte, você pode colocar chips no meio do cimento e entender quando ela está perto de ter uma fissura ou quando é necessário trocar o asfalto.

Se estiver chovendo muito, também é possível enviar alertas automáticos para placas na estrada avisando que a pista está escorregadia.

via GIPHY

E no trânsito? Quantos preciosos minutos ou horas não perdermos por dia?

Imagine se um carro inteligente e uma rede inteligente da cidade estiverem conectados. Sem dúvidas, haverá otimização do fluxo de tráfego, porque em vez de os sinais de trânsito usarem os temporizadores fixos, teríamos semáforos inteligentes que podem responder às mudanças no fluxo de tráfego.

Por outro lado, temos alguns problemas, principalmente relacionados à segurança e à privacidade. Hoje, estamos conectados e gerando dados a todo o momento. Posso chegar a dizer que o banco, com os dados armazenados, sabe muito mais de você do que você mesmo.

As brechas de segurança são outro grande desafio para os desenvolvedores. Na verdade, o perigo de hackers é inerente à internet.

Alguns objetos que acreditamos ser inofensivos, com a internet das coisas, podem ser tornar um grande problema ao estarem conectados à internet, sendo controlados por qualquer pessoa com uma conexão à rede.

O risco de perder informações ou de elas chegarem a mãos erradas vão aumentando na medida em que mais equipamentos estão ligados à internet. Até porque estamos colocando mais dados na nuvem e, assim, maiores as chances desses dados se perderem.

Não podemos esquecer dos bugs e problemas do sistema. Seja por estar sobrecarregado, mau uso ou por alguma invasão hacker.

Se você tem um computador ou já usou um, já passou por alguma experiência desagradável. Imagine então se o sistema de semáforos tenha algum problema. Pronto! O caos estaria instalado devido ao mau funcionamento do equipamento.

Segundo estudo da Cisco, teremos cerca de 50 bilhões de dispositivos conectados até 2020. A maioria seria TVs, carros, geladeiras, fogões, máquinas de lavar. O cenário está se consolidando e tornando nosso dia a dia cada vez mais conectado.

Leo Renato Bernardes é jornalista e especialista em Marketing e Comunicação Digital

 
 


COMENTE

internet
comunicar erro à redação