metropoles.com

Dono nega agressões e diz que pit bull está com câncer

Morador do Núcleo Bandeirante refuta acusações de maus-tratos. Mas vizinhos relatam que já o viram chutando e jogando pedras em Natasha

atualizado

Compartilhar notícia

Michael Melo/Metrópoles
1 de 1 Michael Melo/Metrópoles - Foto: null

Ulysses Silva Monteiro, 44 anos, dono da pit bull suspeita de sofrer maus-tratos no Núcleo Bandeirante, conversou com o Metrópoles na tarde desta segunda-feira (31/10) e contou a sua versão do caso. Ele negou que tenha agredido ou violentado sexualmente a cadela, conforme acusações de entidades protetoras dos animais.

“O nome dela é Natasha. Eu a comprei por R$ 300 de um carroceiro que a maltratava, há dois anos. Desde então, eu cuido dela com carinho. Os vizinhos não gostam de mim por isso e me caluniaram”, afirma o autônomo.

Segundo Ulysses, a cachorra está doente. Por essa razão, sangrava quando as ONGs chegaram à casa dele no último sábado (29), após denúncia de vizinhos. “Eu levei a Natasha no veterinário, que a diagnosticou com câncer e passou um monte de remédios. Comprei tudo, dei duas doses e aí já virou essa confusão”, diz.

Após ONGs acionarem o Ministério Público, a Justiça determinou, nesta segunda (31), que Natasha fosse resgatada. A cadela foi levada ao veterinário Victor Gabriel dos Reis. Segundo o especialista, ainda é cedo para afirmar se a pit bull era espancada. “Ela tem um nódulo no baço e na mama. Vamos fazer uma cirurgia para ver se é câncer. Há outros exames sendo realizados”, explicou.

Moradores contestam explicações
Vizinhos de Ulysses e funcionários de edifícios da região ouvidos pela reportagem contestam a versão do autônomo. O vigia de um prédio relatou ao Metrópoles já ter visto o autônomo chutando e até mesmo atirando pedras em Natasha. Uma vizinha disse que são constantes os ruídos de pancadas, choros e uivos da cadela vindos do apartamento do autônomo.

Devido às denúncias, ONGs protetoras dos animais acionaram o Batalhão de Polícia Militar Ambiental, que levou o homem e a cadela à 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) no sábado (29/10). No entanto, Ulysses foi liberado e voltou para casa no mesmo dia, com Natasha.

Após ser resgatada devido à ordem judicial, Natasha deverá ficar em um lar temporário. Ulysses, no entanto, disse que tentará recuperar a guarda da pit bull na Justiça.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações