Fercal tem a menor renda per capita entre 16 regiões pesquisadas pela Codeplan

Até então, o menor valor era encontrado no Varjão. Educação também é um problema na região: mais da metade da população tem o ensino fundamental incompleto

atualizado 01/03/2016 23:37

Rafaela Felicciano/Metrópoles

A Fercal tem a menor renda per capita entre 16 regiões administrativas analisadas pela Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan). Por mês, cada habitante da região tem renda média de R$ 625,64. Até então, o menor valor per capita era encontrado no Varjão, onde a média ficou em R$ 627,81. A renda domiciliar mensal, por sua vez, diminuiu em relação ao último estudo, realizado em 2013, de R$ 2.451,69 para R$ 2.294 no ano passado.

De acordo com o estudo, a Fercal atrai especialmente moradores de Sobradinho. Estima-se que houve aumento de 338 habitantes em dois anos. Dos atuais 8.746 moradores, 46% têm de 25 a 59 anos. Na região, 72,4% das residências são próprias, mas 70% delas ficam em terrenos não regularizados e 67,2% estão em algum declive.

Em relação ao trabalho, 70% dos moradores têm emprego remunerado. O comércio é o setor de mais destaque, com 26,02% dos ocupados, seguido de serviços gerais (21,38%) e indústria (14,01%). Os índices apontam que 53% exercem ocupações dentro da região administrativa. A arquiteta da Codeplan Eliana Klarmann destaca que a região é rica em minérios, o que incentivou a presença de indústria de cimento no local.

A Fercal, mais nova região administrativa do DF, também mostra dificuldades no acesso à educação para moradores. Mais da metade da população (51,4%) tem o ensino fundamental incompleto. Apenas 22,2% dos moradores terminaram o ensino médio, e 2,8, o superior.

Iluminação pública
Segundo a Pdad, 93,8% dos domicílios são atendidos com iluminação pública — 2.196 de 2.341. Ainda no quesito infraestrutura, 99,6% das moradias têm acesso à rede elétrica. O diretor de Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Bruno de Oliveira Cruz, acrescenta que a percepção de policiamento por parte dos moradores é a sexta maior (64%) entre as 16 regiões administrativas cujas pesquisas de 2015 foram divulgadas até então. “A iluminação pública está presente, e isso pode aumentar a sensação de segurança”, afirma. Com informações da Agência Brasília.

Mais lidas
Últimas notícias