metropoles.com

Planos de saúde lucram com investimentos, mas perdem com serviços

Setor registrou ganhos de R$ 2 bilhões no primeiro semestre. Mas o resultado veio de aplicações financeiras. A operação deu prejuízo

atualizado

Compartilhar notícia

Adam Berry/Getty Images
imagem colorida medido planos de saúde
1 de 1 imagem colorida medido planos de saúde - Foto: Adam Berry/Getty Images

As operadoras de planos de saúde registraram um lucro líquido de R$ 2 bilhões, no primeiro semestre deste ano. Esse resultado equivale a cerca de 1,3% da receita total acumulada, que chegou a quase R$ 154 bilhões. Isso quer dizer que, para cada R$ 100,00 de receitas, o setor obteve R$ 1,3 de lucro. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (1º/9) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

No primeiro semestre, todo o setor apresentou resultados positivos. As administradoras de benefícios registraram lucro de R$ 260,6 milhões; as operadoras exclusivamente odontológicas, de R$ 327,4 milhões; e as médico-hospitalares, de R$ 1,46 bilhão, revertendo, nesse caso, prejuízo de R$ 691,6 milhões, registrado no mesmo período do ano passado.

As operadoras médico-hospitalares, o principal segmento desse ramo, porém, fecharam o semestre com resultado operacional negativo de R$ 4,3 bilhões. Esse prejuízo só foi compensado pelo resultado financeiro recorde de R$ 5,9 bilhões. Ele foi obtido principalmente por meio da remuneração de aplicações financeiras, que acumularam ao final do período quase R$ 105,7 bilhões.

O principal indicador que explica o desempenho das nas operadoras médico-hospitalares continua sendo a sinistralidade, que fechou o semestre em 87,9% (cerca de 0,9 ponto percentual abaixo da apurada no mesmo período do ano anterior). Esse índice mede qual parcela das receitas provenientes das mensalidades é consumida pelas despesas assistenciais.

“Estamos vendo que a rentabilidade das operadoras está vindo, de maneira geral, do rendimento das operações financeiras”, diz o diretor de Normas e Habilitação das Operadoras da ANP, Jorge Aquino. “Essa situação não é desejável, afinal, a operação do plano deve ser sustentável por si só. Então as operadoras precisam rever sua gestão e analisar onde podem melhorar”,

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNegócios

Você quer ficar por dentro das notícias de negócios e receber notificações em tempo real?

Notificações