Bolsonaro telefona para presidente da Colômbia após atentato em Bogotá

Presidente prestou solidariedade ao povo colombiano e pediu para que Venezuela não abrigue os terroristas

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 18/01/2019 22:19

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) telefonou, nesta sexta-feira (18/1), para o presidente da Colômbia, Iván Duque, para prestar solidariedade pelo ataque terrorista que matou 21 pessoas e feriu 60 na capital Bogotá. O ataque é atribuído ao Exército de Libertação Nacional (ELN).

Segundo informações publicadas pelo jornal O Globo, Bolsonaro pediu que o grupo libertasse sequestrados e apelou para que a Venezuela não abrigasse “os terroristas”.

“Há pouco telefonei para o presidente Iván Duque da Colômbia para solidarizar com o mesmo e com o seu povo, tendo em vista o ataque terrorista que seu país sofreu no dia de ontem por parte do Exército de Libertação Nacional“, disse o presidente em vídeo divulgado pelo Palácio do Planalto.

Bolsonaro continua solicitando que o grupo depusesse suas armas e colocasse em libertade os “incontáveis sequestrados que tem em seu poder”.

O presidente Ivan Duque classificou o episódio como “um ataque miserável” e falou que a Colômbia não irá se curvar à violência. “Todos os colombianos rejeitamos o terrorismo e estamos unidos para combatê-lo”, publicou em rede social.

Autoridades não sabem quem foi o autor do ataque. Recentemente, rebeldes da guerrilha de extrema esquerda do Exército de Libertação Nacional (ELN) têm aumentado os ataques em alvos de polícia na Colômbia em meio a uma disputa com Ivan Duque sobre como reiniciar as conversas sobre acordos de paz. Desde que ele tomou posse em agosto de 2018, ele se recusou a negociar um cessar-fogo.

Com informações da Agência Estado

Últimas notícias