Alunos relatam denúncias contra professor que esquartejou aluna

À imprensa local, estudantes contam sobre pedidos constantes de renúncia de Oleg Sokolov, mas que a universidade ignorou

atualizado 11/11/2019 16:12

Reprodução/spbu.ru

Enquanto as autoridades russas tentam elucidar as razões para o crime sórdido cometido pelo professor Oleg Sokolov, encontrado em um rio com os braços da namorada dentro de uma mochila, surgem relatos sobre o comportamento violento do docente dentro da Universidade de São Petersburgo, onde ele lecionava.

Estudantes relataram que, por diversas vezes, tentaram forçar a renúncia do professor, mas que a instituição de ensino os ignorava. Segundo o jornal Moskovsky Komsomolets, ele já havia sido denunciado formalmente por violência contra ao menos uma estudante.

Uma petição à época foi lançada no site Change.org e chegou a coletar 5,3 mil assinaturas em poucos dias, denunciando a inércia da administração da universidade e acusando a instituição de fechar os olhos ao comportamento “monstruoso” do professor e de outros funcionários. Nenhuma ação disciplinar foi tomada contra Sokolov.

De acordo com o jornal francês Le Parisien, uma estudante relatou que, em 2008, manteve um relacionamento amoroso com Sokolov e apresentou queixa contra ele, por tortura. No relato, a jovem afirma que ele a amarrou em uma cadeira e bateu em seu rosto, ameaçando marcá-la com ferro quente, por ela ter decidido terminar o caso.

Crime brutal
O historiador está internado por hipotermia e deve ser indiciado nesta segunda-feira (11/11/2019) pela morte e esquartejamento da namorada, após uma suposta crise de ciúmes. Ele foi encontrado com os dois braços decepados da jovem dentro de sua mochila. Oleg Sokolov teria caído em um rio da cidade enquanto tentava se desfazer das partes do corpo. Bêbado e vestido de Napoleão, o homem confessou que planejava se suicidar.

De acordo com o jornal britânico Metro, a vítima é Anastasia Yeschenko, uma estudante de 24 anos. Os dois moravam juntos. Para a polícia, ele afirmou que a matou “acidentalmente durante uma discussão”. O restante do corpo da jovem foi encontrado dentro do flat que eles dividiam.

Últimas notícias