Veja como foi o retorno da tripulação da SpaceX à Terra

A cápsula da Dragon, da missão Inspiration4, pousou em segurança nesse sábado (18/9)

atualizado 19/09/2021 9:36

Chegada da Inspiration4Reprodução/Twitter

Inspiração. Não à toa, o nome escolhido da missão para levar quatro não astronautas ao espaço foi um sucesso. Chris Sembroski, Hayley Arceneaux, Jared Isaacman e Sian Proctor, tripulação da Inspiration4, foram os primeiros civis a darem algumas voltas em torno da Terra antes de pousar em segurança nesse sábado (18/9).

A cápsula Dragon, casa da equipe durante o tempo que o quarteto passou em órbita, pousou às 20h06 (no horário de Brasília) sobre o oceano Atlântico, próximo à costa da Flórida, nos EUA.

Segundo o Uol, os preparativos para a volta da tripulação começaram na noite de sexta (17/9). A reentrada na atmosfera é um dos momentos de maior tensão em uma viagem espacial. A chegada da cápsula – o momento de abertura dos paraquedas e de pouso na água –, no entanto, foi aplaudida pela equipe na sala de controle da SpaceX.

0
Retorno

De modo a facilitar o voo de reentrada na atmosfera da terra, a cápsula Dragon descartou partes de sua estrutura e manobrou a cabine da tripulação para a chegada.

A base da cúpula, com painéis solares e sistemas de energia para o voo em órbita, foi descartada ao longo do caminho, de modo que apenas o topo da Dragon pousou no oceano.

Ao colocar os propulsores em marcha à ré após realizar um giro de 180°, a nave direcionou a trajetória de descida, enquanto se aproximava da atmosfera terrestre.

Considerada um dos momentos mais tensos da viagem, a angulação da trajetória de retorno poderia ter colocado toda a missão em risco. Se tivesse sido muito aguda, a força-G poderia fazer com que o atrito com o ar fizesse a cápsula explodir. Caso tivesse sido obtusa, a Dragon poderia ter “quicado” na atmosfera e voltado sem controle ao espaço.

A aproximação no ângulo adequado possibilitou a “captura” da nave pela gravidade da Terra e deu-se início ao processo de reentrada. A Dragon foi equipada com um conjunto de placas de cerâmica para que não se desintegrasse ao atravessar as camadas da atmosfera terrestre. Os escudos são chamados de PICA (Phenolic-Impregnated Carbon Ablator).

Veja post da missão:

Pouso

A tripulação ainda levou um susto durante a reentrada por causa de período de blecaute que cortou a comunicação com a sala de controle por cerca de 4 minutos. Assim que o contato foi restabelecido, os quatro paraquedas da Dragon se abriram para diminuir a velocidade e realizar o pouso.

Hayley Arceneaux foi a primeira a deixar a cápsula, seguida de Sian Proctor. A tripulação foi assistida por uma equipe de resgate que os buscou no oceano.

Os quatro acenaram e foram muito aplaudidos antes de seguirem para uma exame médico e voarem de helicóptero para o continente.

Últimas notícias