Trump visita sinagoga onde ocorreu massacre e é recebido com protestos

Manifestações criticando discurso de ódio do presidente norte-americano e uso político da tragédia reúnem mil pessoas

atualizado 30/10/2018 21:21

Divulgação/Twitter

Sob muitos protestos, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, visitou nesta terça-feira (30/10) a sinagoga em Pittsburgh, onde 11 pessoas foram mortas no sábado (27). O líder norte-americano acendeu velas em homenagem às vítimas.

Durante a visita, Trump estava acompanhado da primeira-dama, Melania; de sua filha mais velha, Ivanka, e do genro, Jared Kushner.

O presidente também colocou uma pedra para cada um dos mortos ao lado de fora do prédio, uma tradição de enterros judaicos, além de uma rosa branca no local dos disparos.

Segundo a polícia local, ao menos mil pessoas protestaram contra o gesto do presidente, considerando-o hipócrita. Alguns ainda afirmaram que Trump estaria tomando proveito da tragédia para ganhar popularidade no pleito de 6 de novembro.

Últimas notícias