Terceiro ataque a tiros é registrado nos EUA em menos de 24 horas

O tiroteio aconteceu no estado de Louisiana. Pelo menos cinco pessoas foram alvo das balas

atualizado 19/04/2021 10:00

Mais um tiroteio foi registrado nos Estados Unidos, horas depois de outros dois terem deixado ao menos 6 mortos. Dessa vez, o ataque ocorreu na cidade de Shreveport, no estado de Louisiana, na noite de domingo (18/4), por volta das 21h (horário local).

Segundo informações da polícia do estado à Reuters, pelo menos cinco pessoas foram baleadas durante os disparos contra uma distribuidora de bebidas. “Nós respondemos esta noite a um congestionamento de tráfego e, durante esse congestionamento, vários tiros foram disparados”, disse um porta-voz da polícia.

Jornal local de Shreveport, o Love Shreveport-Bossier afirmou em uma publicação, seguida de um vídeo de momentos após o incidente, que dentre as cinco pessoas feridas uma foi atingida na cabeça e outra, alvejada várias vezes.

Veja o vídeo divulgado pela página:

Ainda de acordo com a página, mais cedo, por volta das 18h40 (no horários dos EUA), houve outro tiroteio no bairro de Mooretown, no qual apenas um homem de 47 anos teria sido alvejado e levado ao hospital com ferimentos não graves.

Três ataques em menos de 24 horas

Dois tiroteios nos Estados Unidos no domingo (18/4) deixaram ao menos seis mortos. Um dos ataques ocorreu no centro comercial de Austin, no Texas, com três óbitos.

O outro caso aconteceu após briga de bar em Kenosha, Wisconsin, onde também houve três fatalidades. Informações locais apontam que não há relação entre os ataques.

Em Kenosha, outras duas pessoas ficaram gravemente feridas. A polícia informou que um homem atirou nas pessoas que estavam no bar depois de ser convidado a deixar o local. Ele ainda não havia sido identificado até a última atualização deste texto.

Já no Texas, o ataque aconteceu próximo a um prédio de escritórios. Ainda não há informações de mais vítimas nem das motivações dos tiros. A polícia local foi acionada, e moradores da região foram aconselhados a não saírem de casa.

Últimas notícias