Suíça aprova casamento gay em votação nacional

Casais homoafetivos só podiam ter “parceria registrada”, o que não dava acesso a direitos como adoção, imigração e medicina reprodutiva

atualizado 26/09/2021 15:29

Pixabay

A Suíça aprovou neste domingo (26/9) o direito ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. A decisão veio através de um referendo em que 64% dos votos foram favoráveis ao casamento igualitário.

O país é o 30º no mundo a ter a união homoafetiva garantida, com os mesmos direitos do casamento heterossexual, de acordo com o portal G1. O Brasil é um desses países, onde o casamento gay foi regulamentado em maio de 2013, após resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Antes do referendo deste domingo, os casais gays e lésbicos da Suíça tinham direito apenas a uma “parceria registrada”, que não garantia acesso a adoção, imigração e acesso à medicina reprodutiva.

O casamento igualitário chegou a ser adotado pelos legisladores da Suíça, mas um comitê formado por partidos conservadores reuniu mais de 50 mil assinaturas para que a lei só fosse modificada por votação nacional, de acordo com o G1.

Além do casamento entre pessoas do mesmo sexo, os eleitores da Suíça também decidiram sobre uma mudança nos impostos. Eles negaram uma proposta que previa aumento no valor pago sobre renda de aluguéis, juros e dividendos.

Últimas notícias