Sete migrantes morrem e nove desaparecem em naufrágio na Itália

Imprensa local afirma que socorristas salvaram 46 pessoas e removeram sete corpos do mar. Há crianças desaparecidas

atualizado 30/06/2021 10:55

Ao menos sete pessoas morreram e nove estão desaparecidas após o naufrágio de um barco com dezenas de migrantes na costa de Lampedusa, sul da Itália, nesta quarta-feira (30/6).

De acordo com a Guarda Costeira italiana, o naufrágio pode ter sido causado pelo deslocamento das pessoas a bordo, que se concentram em um único lado da embarcação para esperar o resgate.

A imprensa local afirma que os socorristas salvaram 46 pessoas e removeram sete corpos do mar, sendo quatro de mulheres – uma delas estava grávida. Sobreviventes que estavam a bordo do navio relatam que ainda há pelo menos nove pessoas desaparecidas, incluindo crianças.

O Ministério Público de Agrigento abriu uma investigação sobre o naufrágio. O prefeito de Lampedusa, Totò Martello, cobrou um posicionamento do premiê Mario Draghi.

“Continua o silêncio de Draghi. Já se passaram 15 dias, ou até mais, desde que pedi uma reunião para discutir o que acontece no Mediterrâneo”, afirma.

O Ministério do Interior diz que a Itália já recebeu cerca de 20,4 mil deslocados internacionais pelo Mediterrâneo em 2021, crescimento de quase 200% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os principais países de destino são Bangladesh (3.144), Tunísia (2.962), Costa do Marfim (1.618), Egito (1.543) e Eritreia (1.195).

Mais lidas
Últimas notícias