Afastado da Igreja Católica pelo então papa João Paulo II, o nicaraguense Ernesto Cardenal foi reabilitado pelo papa Francisco. Com 94 anos e enfrentando uma grave infecção renal, ele está hospitalizado no seu país e recebeu a notícia por meio do bispo auxiliar da arquidiocese de Manágua, Silvio José Báez.

Dessa forma, Cardenal poderá celebrar a sua primeira missa em 35 anos, já que em 1984 João Paulo afastou o então padre da igreja. Na época, o sacerdote foi acusado de ter auxiliado na revolução Sandinista, que instaurou um regime socialista no país. Oriundo da Polônia, João Paulo era crítico dos regimes de esquerda.

“Hoje visitei meu padre amigo, padre Ernesto Cardenal, no hospital, com quem pude conversar por alguns minutos. Depois de orar por ele, ajoelhei-me diante de sua cama e pedi sua bênção como sacerdote da Igreja Católica, com a qual ele de bom grado concordou. Obrigado, Ernesto!”, escreveu Silvio José Báez no Twitter.

O Vaticano não falou publicamente sobre o caso. (Com agências internacionais)