*
 

O papa Francisco completou sua viagem à Colômbia com uma homenagem a São Pedro Claver, um colega jesuíta que cuidou física e espiritualmente de centenas de milhares de escravos africanos que chegaram ao porto de Cartagena para serem vendidos durante a época da colonização espanhola.

A visita de Francisco a Cartagena teve um início agitado, quando ele bateu a cabeça em seu papamóvel, que parou próximo a vários fiéis. O papa perdeu o equilíbrio e sofreu um ferimento no olho esquerdo e um corte na sobrancelha. Foi feito um curativo no local e Francisco continuou a programação.

“Este sangue sagrado fica na Colômbia”, disse Ricardo Morales, um advogado que saiu da igreja de São Pedro Claver para se aproximar do papa. “Ele fez um grande esforço para estar aqui e, a partir de agora, é nossa obrigação fazer um esforço semelhante para agradecer por tudo o que ele fez.”

Uma vez recuperado, Francisco visitou a igreja, onde elogiou o missionário do século XVII por ter reconhecido a dignidade inerente dos escravos. O papa, valorizado por seu estilo simples, disse que Claver era “austero e caridoso até o ponto do heroísmo”.

 

 

COMENTE

Colômbiapapa
comunicar erro à redação

Leia mais: Religião